Comércio do AM cresce acima da taxa do País

A alta foi de 8,4%, enquanto que o País registrou 3,2%. Em dezembro de 2017, o comércio varejista do Amazonas já havia indicado aumento de 8,5% nas vendas, com relação ao mesmo mês de 2016

Beatriz Gomes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O primeiro mês do ano foi de crescimento no comércio varejista do Estado, com relação ao início de 2017 e acima da média nacional, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A alta foi de 8,4%, enquanto que o País registrou 3,2%. Em dezembro de 2017, o comércio varejista do Amazonas já havia indicado aumento de 8,5% nas vendas, com relação ao mesmo mês de 2016.

Melhora dos rendimentos ampliou o movimento no varejo, diz IBGE (Foto: Sandro Pereira)

A melhora dos rendimentos e a inflação baixa estimularam as vendas do comércio em 19 das 27 Unidades da Federação. “O aumento da massa de rendimentos reais e a redução sistemática dos preços na alimentação no domicílio foram os principais fatores para o desempenho positivo do setor”, disse a gerente da pesquisa, Isabella Nunes.

Na passagem de dezembro de 2017 para janeiro de 2018, no Amazonas, houve leve alta de 1%, acima da média do País, de 0,9%. No acumulado de 12 meses, a variação é de 7,20%.

Quando analisado o comércio ampliado, que inclui as vendas de automóveis e materiais de construção, o Estado registrou o terceiro melhor resultado do Brasil com uma alta de 14,6% com relação a janeiro de 2017. Santa Catarina com 20,6% de aumento e Rondônia com alta de 19,1% ficaram nas primeiras posições. Nos acumulado dos 12 meses, de fevereiro de 2017 a janeiro de 2018, o aumento foi de 12,9%.

A alta da receita nominal do comércio varejista do Estado foi de 2,60% com relação a dezembro de 2017. Enquanto nos últimos 12 meses, o aumento foi de 7,20%.

A receita nominal do varejo cresceu 0,6% na comparação com dezembro de 2017, 0,4% na média móvel trimestral, 3,3% na comparação com janeiro de 2017 e 2,3% no acumulado de 12 meses.

O varejo ampliado também teve altas de receita nominal em todos os tipos de comparação: de dezembro de 2017 para janeiro deste ano (0,2%), média móvel trimestral (0,7%), comparação com janeiro de 2017 (6,6%) e acumulado de 12 meses (3,9%).

Na passagem de dezembro de 2017 para janeiro de 2018, na série com ajuste sazonal, as vendas no comércio varejista avançaram em 19 das 27 Unidades da Federação, com destaque para Roraima (8,6%); Amapá (8,4%) e Rio Grande do Norte (7,6%). Por outro lado, Espírito Santo (-2,9%) e Goiás (-2,1%) mostraram os maiores recuos nas vendas nessa comparação.

Segmentos

Na passagem de dezembro para janeiro, cinco dos oito segmentos do varejo tiveram crescimento, com destaque para outros artigos de uso pessoal e doméstico (6,8%) e equipamento e material para escritório, informática e comunicação (3,7%).

Outros segmentos com alta foram supermercados, alimentos, bebidas e fumo (2,3%), tecidos, vestuário e calçados (0,9%) e livros, jornais, revistas e papelaria (0,3%).

Três segmentos tiveram queda no volume de vendas de dezembro para janeiro: combustíveis e lubrificantes (-0,3%), móveis e eletrodomésticos (-2,3%) e artigos farmacêuticos, médicos e ortopédicos (-2,5%).