No AM, mais de 142 mil já entregaram a declaração do IRPF 2018

Segundo a Receita Federal, o número de declarações entregues no Estado está acima da média nacional. Cerca de 312 mil são esperadas até o dia 30 de abril

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – No Amazonas, 142.990 pessoas já entregaram a declaração do Imposto de Renda 2018, até a tarde desta segunda-feira (16), segundo dados divulgados pela Delegacia da Receita Federal em Manaus (DRF/MNS). As declarações entregues correspondem a 45,8% das 312.000 mil esperadas no Estado, que devem ser feitas até o dia 30 de abril. Conforme a Receita Federal, os números no Amazonas estão acima da média nacional, que está com 41,9% de declarações entregues.

No AM, mais de 142 mil já entregaram a declaração do IRPF 2018 (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

As declarações de ajuste anual devem ser apresentadas por pessoas que receberam rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70, rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil. E quem obteve, em qualquer mês, ganho de capital na alienação de bens ou direitos, sujeito à incidência do imposto ou realizou operações em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas.

Com relação à atividade rural, a obrigatoriedade vale para quem obteve receita bruta em valor superior a R$ 142.798,50. E quem teve em 31 de dezembro, a posse ou a propriedade de bens ou direitos, inclusive terra nua, de valor total superior a R$ 300 mil.

E também as pessoas que passaram à condição de residente no Brasil em qualquer mês e nesta condição se encontravam em 31 de dezembro, ou optaram pela isenção do imposto sobre a renda incidente no ganho de capital alcançado na venda de imóveis residenciais, cujo produto da venda seja destinado à aplicação na aquisição de imóveis residenciais localizados no País, no prazo de 180 dias contados a partir da celebração do contrato de venda.

O contribuinte que entregar a declaração após o prazo previsto ou não apresentar, fica sujeito ao pagamento de multa por atraso de 1% ao mês-calendário ou fração de atraso, incidente sobre o imposto devido, ainda que integralmente pago, observados os valores mínimo de R$ 165,74 e máximo de 20% do imposto devido.

Retenção

As principais razões pelas quais as declarações foram retidas em 2017 foram omissão de rendimentos do titular ou seus dependentes, divergências entre os valores informados na declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) e os informados pelas fontes pagadoras, além da dedução de previdência oficial ou privada, dedução de dependentes, dedução de pensão alimentícia e despesas médicas.