Pesquisa do IBGE revela que mulheres utilizam mais internet que homens

Os dados da pesquisa mostram que as mulheres amazonenses utilizam mais tecnologias, como internet e celular, que os homens

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua – PNAD Contínua, divulgados ontem, mostram que as mulheres amazonenses utilizam mais tecnologias, como internet e celular, que os homens. Por outro lado, o Amazonas e a Região Metropolitana de Manaus ainda não são destaques no acesso e uso de novas tecnologias e seus equipamentos, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os dados da pesquisa mostram que as mulheres amazonenses utilizam mais tecnologias, como internet e celular, que os homens. (Foto: Reinaldo Okita)

A PNAD Contínua contemplou, no quarto trimestre de 2016, o tema suplementar Tecnologia da Informação e Comunicação – TIC, com foco nos aspectos de acesso à internet, à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal.

Na população de 3,16 milhões de pessoas de 10 anos ou mais de idade do Estado, 53,8% utilizaram a internet, no período de referência dos últimos três meses. No contingente masculino, a parcela que utilizou a internet representou 51% e no feminino, 56,5%.

A PNAD também mostrou que 62,3% da população do Amazonas de 10 anos ou mais de idade tinha telefone móvel celular para uso pessoal. As distinções regionais foram percebidas neste indicador: nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, a parcela das pessoas que possuíam telefone celular para uso pessoal já ultrapassou 80%, mas ainda não alcançou 70% nas regiões Norte e Nordeste.

O percentual de homens que tinham telefone móvel celular para uso pessoal, no Amazonas, foi de 58,8%, portanto menor que o das mulheres (65,8%). Essa diferença foi perceptível nas Unidades da Federação, mas irrelevante em dois Estados do Sudeste (Rio de Janeiro e São Paulo) e em dois do Sul (Paraná e Santa Catarina), onde o percentual de homens que possuíam telefone móvel era pouco superior que as mulheres, segundo o levantamento divulgado, ontem, pelo IBGE.