Petrobras vende gasolina a R$ 1,51 e botija de gás a R$ 23,16 aos distribuidores

Nova política de preços da companhia revela os valores de venda sem a incorporação dos tributos para as distribuidoras, que repassam os derivados para as revendedoras, até o consumidor final

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A Petrobras começou a divulgar o preço médio do litro da gasolina e do diesel nas refinarias e terminais, além do valor do Gás Liquefeito de Petróleo (GLP), o gás de cozinha. Segundo a companhia, o anúncio é para dar mais transparência à composição do preço final dos combustíveis. Após a divulgação, é possível observar que o preço final nos postos de combustíveis e nos revendedores de gás de cozinha chega a quase três vezes o original, em Manaus. O valor não inclui os tributos.

Segundo a companhia, o anúncio é para dar mais transparência à composição do preço final dos combustíveis (Foto: Eraldo Lopes)

Com o reajuste previsto para entrar em vigor nesta terça-feira (20), o preço médio do litro da gasolina A, comercializado pela empresa, será de R$ 1,5148 e o do litro do diesel A será R$ 1,7369. Atualmente, a gasolina comum é encontrada por R$ 4,29 em média, em Manaus.

“Como a legislação garante a liberdade de preços no mercado, as revisões de preços feitas pela Petrobras podem ou não se refletir no preço final ao consumidor, de acordo com os repasses feitos por outros integrantes da cadeia de combustíveis e derivados”, afirma o comunicado da Petrobras.

Segundo dados disponibilizados pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), o preço médio da gasolina em outubro de 2016, quando foi adotada a nova política de preços da Petrobras, era de R$ 3,69 por litro. Em fevereiro de 2018, havia subido para R$ 4,23 o litro, uma variação de R$ 0,54 ou 15%.

No caso do valor médio do GLP residencial, vendido pela estatal para as distribuidoras que fazem o envase em botijão de gás de cozinha, atualmente, o preço médio sem tributos equivale a R$ 23,16 por botijão de 13 quilos. Na capital amazonense, o mesmo botijão é encontrado a R$ 70, em média, quase tres vezes o valor original.