PIM

Produção de motos no PIM cresce 24,3% em maio

No comparativo com abril desse ano, também houve crescimento de 9,3%, somando 96,6 mil motocicletas produzidas no Polo Industrial de Manaus e vendas de 81,2 mil veículos de duas rodas

Da redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – As fabricantes de motocicletas instaladas no Polo Industrial de Manaus (PIM) estão comemorando os resultados positivos da produção, com 96,6 mil unidades, em abril, uma alta de 24,3% sobre o mesmo mês do ano passado (77,7 mil) e de 9,3% na comparação com abril (88,4 mil). Já no acumulado dos cinco meses, foram produzidas 444,5 mil unidades, correspondendo a uma expansão de 19% sobre as 373,4 mil motocicletas do ano passado. Os dados são da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo).

Em cinco meses, foram produzidas 444,5 mil unidades, em Manaus. (Foto: Sandro Pereira)

Para Marcos Fermanian, presidente da entidade, chegar ao quinto mês consecutivo de crescimento significa que a recuperação do setor está praticamente consolidada. “O que mais assistimos neste período foi a contínua ascensão dos negócios no mercado nacional e tudo indica que as projeções serão revisadas para cima”, comenta. No início de 2018, a previsão divulgada pela entidade apontava um crescimento de 5,9% para a produção total do ano, chegando a 935 mil unidades, em comparação com as 882.876 unidades fabricadas em 2017.

A recuperação do setor também reflete nas vendas no atacado, feitas pelas fabricantes às concessionárias. Foram 87,9 mil motocicletas vendidas em maio, significando uma alta de 29,6% sobre o mesmo mês de 2017 (67,8 mil) e de 12% na confrontação com abril (78,5 mil). No acumulado, o cenário também foi de crescimento: 16,1%, sendo 400,4 mil motocicletas enviadas às lojas neste ano ante 345 mil em 2017.

Emplacamentos

Com base nos dados do Registro Nacional de Veículos Automotores (Renavam), as vendas no varejo totalizaram 81,2 mil unidades em maio, correspondendo a aumento de 2,1% sobre o mesmo mês de 2017 (79,5 mil) e a um recuo de 1,1% na comparação com abril do presente ano (82,1 mil).

No que diz respeito às vendas diárias, em maio a média foi de 3,8 mil unidades com 21 dias, representando um salto de 7% sobre o mesmo mês do ano passado (3,6 mil), que teve 22 dias úteis. Mas na comparação com abril, houve recuo de 1,1% (3,9 mil). No acumulado dos cinco primeiros meses do ano, a média diária de vendas ficou em 3.715 unidades.

“Na primeira quinzena de maio a média diária estava acima de 4 mil motocicletas, volume que acabou caindo no fim do mês em função dos impactos da paralisação dos caminhoneiros. Mesmo assim, foi algo pontual”, diz o presidente, Marcos Fermanian.