Ensino Superior de Manaus terá novo curso de Medicina a partir de 2018

Segundo Wellington Lins Júnior, diretor administrativo da Fametro, o investimento, somente na construção de laboratórios, chega a R$ 10 milhões. Vestibular está previsto para outubro

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Laboratórios estão equipados com máquinas e aparelhos de última geração (Foto: Reinaldo Okita)

Manaus – A partir de janeiro de 2018, Manaus passa a contar com um novo curso de Medicina. A Faculdade Metropolitana de Manaus (Fametro) recebeu, na última semana, o aval do Ministério da Educação (MEC) para a implantação do curso que recebeu nota máxima. O vestibular, que deve acontecer em outubro deste ano, terá a disponibilidade de 100 vagas iniciais, conforme o pedido da própria faculdade.

“Na verdade, sempre foi um desejo do nosso diretor Wellington Lins de Albuquerque contar com essa graduação dentro da Fametro. Há cinco anos demos início a esse processo que foi devidamente aprovado pelo MEC, na última semana. Fomos aprovados e com a nota máxima que é cinco (5). Foi uma longa caminhada, mas sempre com muita persistência e um planejamento para nos tornarmos referência na Região Norte”, explicou Wellington Lins Júnior, diretor administrativo da instituição de ensino.

Segundo ele, o investimento, somente nos laboratórios, gira em torno de R$ 10 milhões. Isto porque, todas as salas de análise humana estão devidamente equipadas com máquinas e aparelhos de última geração. “Dentre elas, os alunos irão encontrar um mesa de anatomia com projeção em 3D, por exemplo. É o que existe de mais moderno no momento. Isso, sem dúvida, foi um dos grandes fatores para termos recebido a maior média do MEC”, ressaltou.

Lins faz questão de destacar que, agora, somente a instituição amazonense e a Universidade de Fortaleza (Unifor), no Ceará, são detentoras da nota máxima no curso, nas regiões Norte e Nordeste. “Além disso, estamos entre os 20 cursos mais bem avaliados no Brasil. Estamos no ranking de grandes faculdades que também figuram as regiões Sul e Sudeste, onde os cursos de Medicina são referência em todo o País”.

Passo a passo

O diretor administrativo avalia, ainda, que essa ‘vitória’ só foi possível graças ao empenho da diretora-presidente da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Graça Alecrim. “Ela colaborou muito para a construção dos nossos laboratórios, bem como a montagem de toda a grade pedagógica, juntamente com a diretora da instituição, Cinara Cardoso. Debatemos inúmeras etapas e conseguimos estar devidamente organizados e planejados para o momento da avaliação”, lembrou.

Agora, a Fametro aguarda somente a expedição da portaria por parte do MEC, para que o vestibular seja realizado. A previsão é que ele aconteça em outubro deste ano. “A expectativa é que as aulas iniciem em janeiro de 2018. Nesta primeira prova, queremos disponibilizar 100 vagas, conforme o pedido que fizemos junto ao ministério. O nosso corpo docente fará toda a diferença, pois ele será composto de mestres e doutores, que referenda ainda mais a seriedade e o compromisso do nosso curso. Temos uma grande responsabilidade”, finalizou.

Em funcionamento desde 2002, a faculdade conta com cursos nas áreas de Exatas (Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Ambiental, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Engenharia Civil, Sistemas de Informação e Química), Humanas (Administração, Ciências Contábeis, Direito, Hotelaria, Jornalismo, Turismo, Pedagogia e Serviço Social) e Saúde (Biomedicina, Educação Física, Enfermagem, Farmácia, Fisioterapia, Fonoaudiologia, Medicina, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia e Psicologia).