Professores de escola estadual participarão de intercâmbio nos Estados Unidos

Educadores fazem parte de um grupo de 35 professores em todo o Brasil selecionados para o programa de intercâmbio, uma parceria entre a Embaixada Americana e a Seduc

Com informações da Assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Cinco professores de Língua Inglesa da rede pública estadual do Amazonas participarão de um intercâmbio nos Estados Unidos. Eles integram um grupo de 35 educadores de escolas públicas bilíngues de todo o País selecionados para a atividade. A viagem, que está programada para janeiro de 2019, é fruto de uma parceria entre a Embaixada Americana e a Secretaria de Estado de Educação e Qualidade do Ensino do Amazonas (Seduc).

Em janeiro do próximo ano, embarcarão para os Estados Unidos os professores Omar dos Anjos Silva, Relem Cativo da Conceição, Débora Kelly de Almeida Bragança, Larissa Barroso da Gama e Bruna Barbosa de Freitas, que é a técnica da Seduc responsável pela proposta bilíngue de Língua Inglesa no Ceti Gilberto Mestrinho.

Os educadores fazem parte do corpo de docentes do Centro de Educação de Tempo Integral Gilberto Mestrinho, no bairro Educandos, zona sul de Manaus, uma das unidades de ensino da rede pública estadual do Amazonas que conta com o projeto bilíngue na Língua Inglesa.

Omar dos Anjos Silva, Relem Cativo da Conceição, Débora Kelly de Almeida Bragança, Larissa Barroso da Gama e Bruna Barbosa de Freitas embarcarão para intercâmbio nos Estados Unidos (Foto: Salomão Júnior/Seduc)

O intercâmbio é vinculado ao programa ‘Global Launch’ (plataforma da ASU que oferece serviço de preparação acadêmica, treinamento em comunicação multilíngue e desenvolvimento de habilidades profissionais). Durante três semanas os professores farão visitas a escolas públicas, participarão de atividades culturais, terão contato direto com famílias americanas, além da oportunidade de dar aulas de Língua Inglesa a educadores de universidades e estudantes de escolas públicas. Os educadores desenvolverão as atividades na Universidade do Estado do Arizona.

Expectativa

Para a professora Bruna Freitas, o intercâmbio será um aprendizado, não apenas na cultura norte-americana, mas também na educação bilíngue. “A importância desse intercâmbio é aprendermos mais sobre educação bilíngue. Essa iniciativa de termos a escola bilíngue, desde o começo, contou com o apoio da Embaixada Americana e conforme eles foram vendo que o trabalho está sendo consolidado, resolveram abraçar ainda mais essa ideia, oportunizando não somente ao Amazonas, mas a outros professores de outros estados, uma chance de estarmos juntos, aprendendo um pouco mais sobre a cultura americana”, afirmou Freitas.