Campeão amazonense pode ser último colocado da tabela

Graças ao Regulamento Específico da Série A, os finalistas da competição, organizada pela FAF, mesmo estando entre os rebaixados na classificação geral, vão terminar o Estadual como campeão e vice

Thiago Fernando / redacao@diarioam.com.br

Manaus – No tão distante mundo do futebol amazonense, o campeão e vice do estadual de 2018 podem ser equipes que tenham, somando os pontos conquistados nas fases classificatórias dos dois turnos, terminado na zona de rebaixamento na tabela geral da competição. Sim. Por mais absurdo que seja, o Regulamento Específico da Série A do Campeonato Amazonense permite tal disparate.

Chegando a última rodada da fase de classificação do segundo turno, a possibilidade se torna, cada vez mais, real. (Charge: Liminha)Chegando a última rodada da fase de classificação do segundo turno, a possibilidade se torna, cada vez mais real. Campeão do primeiro turno, o Fast soma apenas seis pontos na competição. A equipe encontra-se em 6º na tabela, igualado em pontos com o São Raimundo, 7º colocado, e um a mais que o CDC Manicoré, lanterninha do Amazonas. Todavia, o Rolo Compressor já tem sua vaga garantida na grande final do Estadual.

Segundo o Artigo 4º do regulamento: “Ao clube vencedor do Campeonato será atribuído o título de Campeão Amazonense de 2018 e ao segundo colocado o título de Vice-Campeão Amazonense de 2018”. Até aí, tudo bem. Nada de anormal. Porém, o problema surge no Artigo 10º, quando diz que: “O campeão estadual de 2018 será o clube vencedor do jogo (final), que será realizado em Manaus, entre os vencedores do primeiro e do segundo turno, o perdedor será declarado vice-campeão amazonense de 2018”.

Sendo assim, caso o Fast, ou qualquer outro time que termina a fase classificatória na zona de rebaixamento, mas chegue à grande final do Estadual graças ao título do segundo turno, não podem ser rebaixados. Essa informação é confirmada pelo ouvidor da Federação Amazonense de Futebol (FAF), Antônio Policarpo Rios.

“O Regulamento no artigo 10º é bem claro, quando normatiza que os disputantes da final, serão denominados de campeão e vice, portanto não fazem parte da classificatória de índice técnico para determinar os rebaixados. No artigo 11º está normatizado a exceção, pois se o vencedor do primeiro turno for o mesmo campeão do segundo turno, não haverá partida final. No §2º do artigo 12º está muito bem claro a forma de classificação para determinar os rebaixados; para o primeiro caso (artigo 10), do 3º ao 8º lugar”, explicou.

O mais interessante é que, mesmo que o São Raimundo seja derrotado pelo Rio Negro, no próximo sábado, às 15h, na Colina, no encerramento da fase classificatória do segundo turno, o Alviceleste não terá seu rebaixamento decretado. Isso, porque, o Tufão já está classificado para o mata-mata do turno e pode chegar ao título.

A mesma situação pode acontecer com o CDC, que encara o Penarol, em Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste de Manaus), e precisa de apenas um empate para avançar de fase. Por causa dessa soma de possibilidades, proporcionada pelo regulamento, Nacional e Rio Negro, com oito e sete pontos, respectivamente, correm risco de caírem para a divisão de acesso do Estadual.