Brasil testa time da estreia antes da Copa

Diante da Áustria, Tite irá escalar, pela primeira vez na preparação para o Mundial da Rússia, a formação ofensiva da equipe canarinho com Neymar, Philippe Coutinho, Willian e Gabriel Jesus

Almir Leite (AE) / vencer@diarioam.com.br

Viena – A Seleção Brasileira faz, neste domingo (10), contra a Áustria, em Viena, o último amistoso de preparação para a Copa do Mundo. Pouco depois da partida prevista para as 10h (de Manaus), no Estádio Ernst Happel, a delegação viajará para Sochi, onde estabelecerá seu quartel-general na Rússia. Tite espera desembarcar convicto que o caminho para o hexa está bem traçado.

Após sete meses afastado da vaga de titular, o atacante Neymar, do PSG, que se recuperou de lesão do pé direito, assegurou a posição contra os austríacos. (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Esse caminho passa pela recuperação 100% de Neymar, que pela primeira vez desde que sofreu a fratura no pé direito, no dia 25 de fevereiro, começará uma partida. Embora não esteja totalmente pronto, o craque demonstra confiança, não está com receio de se expor em jogadas ríspidas e parece mesmo focado na Copa do Mundo.

Com a estrela da companhia presente, Tite escala a equipe que considera a melhor no momento. Ofensiva. Com dois meias que jogam avançado, Willian e Philippe Coutinho, e um centroavante, Gabriel Jesus, que tem tanto boa movimentação quanto presença de área. É o time da estreia na Rússia, no próximo domingo. Tite quer esse quarteto pressionando os austríacos, que, ele acredita, entrarão em campo com proposta tática semelhante à da Suíça, rival da primeira partida da fase de grupos do Mundial.

Os quatro da frente, de certa forma, ainda carecem de entrosamento, já que até agora só jogaram juntos três vezes e em partes de partidas – duas pelas Eliminatórias e no amistoso contra a Croácia -, em um total de 60 minutos. Tite espera também que Paulinho cresça, para voltar a fazer o trabalho entre as duas áreas. É peça fundamental no esquema 4-1-4-1 da Seleção.

Os laterais Danilo e Marcelo, sobretudo esse da esquerda, estão liberados para apoiar bastante, mas sem deixar de lado os cuidados defensivos, até para que Casemiro não fique sobrecarregado e os meias tenham tempo de recomposição na perda da bola. A expectativa é de que a Áustria não marque tão forte a saída de bola como fez a Croácia no amistoso vencido pelo Brasil, por 2 a 0, no domingo passado, em Liverpool. Mas deverá fazer alguma pressão e buscará ações ofensivas como fez no recente amistoso em que superou a campeã Alemanha, por 2 a 1.

Um dos aspectos que Tite treinou durante as última semana de preparação do Brasil no CT do Tottenham, em Londres, foi a saída de bola. Ele quer rapidez e mais qualidade no passe. É com a formação que iniciará a partida deste domingo que Tite pretende estrear na Copa do Mundo. O teste em Viena vai dar bons parâmetros do estágio da Seleção após três semanas de trabalho.