Clima de Copa invade as ruas em Moscou

Praça Vermelha, um dos principais centros turísticos da Rússia, tem sido o ponto de encontro de torcedores gringos

Folhapress / redacao@diarioam.com.br

Moscou – O clima de Copa enfim chegou ao coração da capital Moscou. No início da noite desta segunda-feira (11), pelo horário local, centenas de pessoas de diferentes países se confraternizavam na região da Praça Vermelha, do lado do relógio que marca a contagem regressiva para o Mundial.

Torcedores lotaram a Praça Vermelha durante o show de abertura do local (Foto: Maxim Zmeyev/AFP)

No alto de uma mureta, os jovens russos, que no domingo haviam enchido a inauguração da Fan Fest, quando 25 mil pessoas estiveram nos shows perto da Universidade Estadual de Moscou, era o grupo mais entusiasmado. Com bandeiras e gritos de guerra eles incentivam o time da casa, que não tem chances de ganhar a taça.

Fora outros grupos da própria Europa, como os franceses, ou da África, como os egípcios que exaltavam o meia Mohamed Salah, a preponderância de torcedores era da América Latina.

“É a terceira Copa que venho, após a da Argentina, em 1978, e a do próprio Brasil, em 2014”, afirmou o uruguaio Fernando Audiffred, de 66 anos. A equipe azul e branca está no Grupo A, ao lado de Rússia, Arábia Saudita e Egito, contra quem será a estreia na sexta-feira (15).

Hoje, o clima estará mais festivo. Milhares de pessoas são esperadas para uma queima de fogos na Praça Vermelha. É feriado no país-sede da Copa do Mundo por causa do Dia da Rússia.

A data é alusiva ao dia, em 1990, em que a Rússia, separada da antiga União Soviética, passou a ter sua própria Constituição. Parte da população acredita que comemorar a data é contraditório.