Croácia desafia tradição da Inglaterra por vaga histórica na Copa do Mundo

Seleção croata nunca chegou a uma final de Mundial e disputa, hoje, a segunda semifinal de sua história em uma Copa. Já os ingleses, inventores do futebol, não decidem o título do torneio, desde 1966

Agência Estado / vencer@diarioam.com.br

Moscou – A Croácia tem mais uma missão dura na Rússia. Ela desafia os inventores do futebol, a Inglaterra, para chegar a sua primeira final de Copa do Mundo. Inglaterra e Croácia não estavam cotadas para serem semifinalistas. Por isso, fazem, nesta quarta-feira (11), em Moscou, a partir das 14h (de Manaus), um confronto de surpresas.

Os dois países foram beneficiados pela eliminação precoce de seleções tradicionais. A Suécia, adversária dos ingleses nas quartas de final, roubou a vaga da Alemanha, atual campeã. A Rússia, oponente da Croácia também nas quartas, havia eliminado a Espanha, campeã em 2010. Assim, as duas tiveram um caminho teoricamente mais fácil.

Meia do Real Madrid e capitão da equipe da Croácia, Luka Modric, ainda sonha em levar seu país até uma inédita final no Mundial e não teme a força inglesa. (Foto: Seleção da Croácia/Twitter)

O retrospecto também comprova que não eram favoritas. A Inglaterra tenta chegar à final pela primeira vez, desde 1966, quando conquistou o título em casa. Há 28 anos, o time não alcançava uma semifinal de Copa. A Croácia nunca foi finalista e chegou entre as quatro uma vez, em 1998, quando conquistou o terceiro lugar.

A Croácia, entretanto, nega o rótulo de zebra. O técnico Zlatko Dalic afirmou que sua equipe tem jogadores nos grandes clubes europeus. Ele acredita que a falta de bons resultados recentes levou a uma subvalorização do time.

“A Croácia tem ótimos jogadores em grandes clubes da Europa. É verdade que não conseguimos um resultado importante como seleção nos últimos anos. Estivemos abaixo do que podemos. Mas não deveria ser surpresa que estamos entre os quatro finalistas, pela qualidade dos jogadores”, afirmou o treinador. “Essa é a chance de estarem na história. O fato de termos jogadores em grandes clubes como Real Madrid e Barcelona mostra que eles têm qualidade”.

O elenco croata é badalado. Luka Modric, do Real Madrid, é o grande astro da seleção. Ao seu lado estão Rakitic, do Barcelona, Mario Mandzukic, da Juventus, e Ivan Perisic, da Inter de Milão.

A Inglaterra chegou desacreditada à Rússia por dois motivos principais. O técnico Gareth Southgate dirigia a seleção sub-21, não tem títulos relevantes e só assumiu o cargo depois do treinador principal ter sido afastado por envolvimento em irregularidades na transferência de jogadores. Foi uma prova de fogo para sua própria carreira. Além disso, a Copa é o primeiro grande teste de um time jovem, que tem, em média, 25 anos.

Centroavante Harry Kane é a maior estrela da seleção da Inglaterra e o artilheiro isolado da Copa da Rússia, com seis gols marcados. Craque está confiante para semi. (Foto: Seleção da Inglaterra/Twitter)

A Inglaterra tem sido consistente, mas ainda não teve uma grande atuação na Copa. A Croácia fez uma grande fase de grupos – venceu a Argentina, por 3 a 0 -, mas suou nas últimas partidas diante de adversários teoricamente mais fracos, como Dinamarca e Rússia. Por isso, não será surpresa mais uma decisão por pênaltis.

Os croatas avançaram dessa forma duas vezes graças ao goleiro Subasic. Os ingleses superaram o drama histórico de três eliminações seguidas em Copas na decisão diante da Colômbia, pelas oitavas de final. A comissão técnica estudou as cobranças antigas e descobriu que os ingleses eram mais afoitos que os batedores das outras seleções depois que o árbitro autorizava a cobrança. Agora, eles esperam, respiram e só aí batem.