Duelo entre França e Bélgica define o primeiro finalista da Copa do Mundo

Formada por gerações jovens e talentosas, as duas equipes europeias medem forças, nesta terça-feira, pela primeira vaga na grande decisão do Mundial da Rússia

Estadão Conteúdo / redacao@diarioam.com.br

São Petersburgo – A Copa do Mundo da Rússia conhece, nesta terça-feira (10), o primeiro finalista. Seja a França ou a Bélgica a vencedora da semifinal na Arena Zenit, em São Petersburgo, a partir das 14h (de Manaus), uma equipe estará na decisão deste domingo (15), em Moscou, com os mesmos atributos. Será a favorita ao título por ter passado por um caminho bem mais difícil no torneio e terá coroado um trabalho exemplar de formação de talentos.

Bélgica é a única seleção ainda com 100% de aproveitamento na Copa (Foto: Getty Images/Fifa)

Os dois países mostraram na Rússia um futebol ofensivo, velocidade e, principalmente, juventude. A França tem um dos grupos mais jovens da Copa do Mundo, com média de idade de 26 anos, e como destaques os atacantes Mbappé, 19, e Griezmann, 27. A Bélgica, um pouco mais experiente (média de idade de 27 anos), tem o melhor ataque da competição, com 14 gols, e o vice-artilheiro, Romelu Lukaku, 25, com quatro gols marcados.

Esses jovens jogadores terão a chance de nesta semifinal deixarem o rótulo de promessas para igualarem o que apenas gerações históricas fizeram por seus países. Os franceses podem igualar a equipe comandada por Zinedine Zidane, que colocou a seleção em final de Eurocopa e em duas decisões de Copa do Mundo. Os belgas sonham em obter o melhor resultado do país em um Mundial e ir além da semifinal, alcançada em 1986.

O caminho das duas equipes até a semifinal foi complicado e justifica o motivo de que o ganhador do jogo em São Petersburgo será o favorito à taça da Copa. A França derrubou campeões mundiais como a Argentina, de Lionel Messi, e o Uruguai, de Luis Suárez, para chegar a esta etapa. A Bélgica superou a fama de amarelar ao conseguir a virada de 3 a 2 sobre o Japão, com gol nos acréscimos, e derrotar o Brasil nas quartas de final, por 2 a 1.

Trabalho Longo

Esses resultados dos franceses e belgas no Mundial não foram construídos de uma hora para outra. A França tem o mesmo treinador – Didier Deschamps – há seis anos e uma base que esteve junta na Copa do Mundo de 2014 e no vice da Eurocopa, em 2016. Titulares como Umtiti e Pogba foram campeões mundiais sub-20 há apenas cinco anos e promovidos pouco a pouco.

A Bélgica desfruta do trabalho de mais uma década para reformular as categorias de base do país, com a unificação de sistema de jogo no 4-3-3 para os garotos e da metodologia para captação de talentos. O resultado veio agora.

O trabalho de organização nos países, a geração talentosa à disposição e os resultados obtidos nesta Copa do Mundo fazem do encontro uma espécie de final antecipada. França ou Bélgica serão os remanescentes da chave do mata-mata onde estavam no início das oitavas de final quatro campeões mundiais e mais o atual campeão europeu, Portugal, liderado pelo melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo.