Semifinais da Copa de 2018 com poucos títulos em jogo

Das quatro seleções europeias – França, Bélgica, Inglaterra e Croácia – classificadas para disputar as vagas na decisão do Mundial da Rússia, apenas os franceses e ingleses têm uma taça cada um

Folhapress / redacao@diarioam.com.br

Moscou – Com surpresas e quedas dos maiores campeões mundiais, a Copa do Mundo de 2018 terá o menor número de títulos acumulados pelos semifinalistas do torneio desde o Mundial de 1966, na Inglaterra. Os quatro países que ainda disputam o troféu na Rússia, no caso França, Bélgica, Inglaterra e Croácia, somam apenas duas conquistas na história.

França, Bélgica, Inglaterra e Croácia estão nas semifinais da Copa do Mundo (Fotos: Getty Images/Fifa)

Há 52 anos, era só um título (o da Alemanha) entre os quatro remanescentes no torneio vencido pelos ingleses. Em 2014, por exemplo, com Brasil, Alemanha e Argentina nas semis, eram dez conquistas acumuladas pelos finalistas.

Com duas equipes que ainda não foram campeãs – Croácia e Bélgica – e outras que venceram a principal competição do futebol uma única vez –França e Inglaterra –, a decisão da competição poderá ter até dois países sem títulos na final e, consequentemente, um campeão inédito

O Mundial russo repete a Copa de 2002, quando dois campeões, Alemanha e Brasil, enfrentaram equipes sem conquistas, Coreia do Sul e Turquia, respectivamente, nas semifinais do torneio. Na Rússia, os campeões, França, que venceu em 1998, e Inglaterra, em 1966, tentam agora confirmar o favoritismo contra seus rivais.

Após sofrerem na primeira fase – terminaram em segundo no grupo – e nas oitavas de final, quando avançaram em disputa por pênaltis, os ingleses tiveram uma classificação mais tranquila, no último sábado, pelas quartas de final. A equipe apostou no jogo aéreo, sua arma no Mundial, para vencer a Suécia, por 2 a 0, em Samara.

Tabu Quebrado

É a primeira vez que a Inglaterra irá a uma semifinal de Copa, desde 1990. Há 28 anos, perdeu para a Alemanha e ficou em quarto lugar. A Inglaterra enfrentará a Croácia, que eliminou a Rússia, também neste sábado, em decisão por pênaltis, após empate de 2 a 2. A partida que define um dos finalistas do Mundial será nesta quarta-feira (11), em Moscou, às 14h (de Manaus).

Um dia antes, na terça-feira (10), o primeiro finalista sairá do duelo entre França e Bélgica, em São Petersburgo, às 14h (de Manaus). Dos quatro times que ainda brigam pelo título, a seleção que mais tem aparições em semifinais é a francesa, que esteve seis vezes entre os quatro melhores.

“Fomos um time melhor contra o Uruguai, mas ainda há algumas imperfeições. Ainda temos muito potencial para mostrar”, disse o técnico Didier Deschamps, capitão do único título francês.

A Inglaterra fará apenas a sua terceira aparição, seguida pela Bélgica e pela Croácia, que avançaram pela segunda vez à semifinal na história. “Esse resultado (classificação) significa muito para nós e para as gerações futuras. É só a terceira vez que a Inglaterra chega às semifinais. Eu cresci vendo a seleção não chegar”, disse o volante Eric Dier.

Os croatas disputam a Copa apenas pela quinta vez. Habilitada pela Fifa para jogar o Mundial só a partir de 1998, ficou fora do torneio, em 2010, na África do Sul. Já a Rússia, com a eliminação para a Croácia, no sábado, se junta a um pequeno grupo de anfitriões que não chegaram à semifinal. Desde 1990, apenas os EUA, em 1994, que caíram nas oitavas, e a África do Sul, eliminada na primeira fase em 2010, foram piores como mandantes.

“Não sei se fomos mais longe do que esperávamos. O resultado não foi ruim. Hoje (no sábado passado) a sorte não esteve conosco”, disse Stanislav Tchertchesov, técnico da Rússia.