Tite defende Fernandinho após derrota e cobra árbitro de vídeo em lance com Jesus

O treinador pediu para que a queda no torneio não seja colocada como responsabilidade individual de alguns atletas, em especial do volante Fernandinho, autor de um gol contra na partida

Estadão Conteúdo / redacao@diarioam.com.br

São Paulo – Abatido, o técnico Tite pediu paciência e discernimento para avaliar a eliminação da Seleção Brasileira nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia, concretizada nesta sexta-feira (6) com a derrota por 2 a 1 para a Bélgica, em Kazan. O treinador pediu para que a queda no torneio não seja colocada como responsabilidade individual de alguns atletas, em especial do volante Fernandinho, autor de um gol contra na partida.

Tite tenta orientar Fernandinho durante derrota do Brasil para a Bélgica por 2 a 1. (Foto: Eduardo Nicolau/Estadão)

Fernandinho, após a partida, recebeu muitas críticas de torcedores em redes sociais. O volante ganhou a vaga de titular porque Casemiro levou o segundo cartão amarelo contra o México, pelas oitavas de final, e teve de cumprir suspensão. “O Fernandinho joga muito e exerce essa mesma função no Manchester City, que é um grande clube. Tivemos dois terços do jogo na nossa mão, com equilíbrio emocional e posse de bola para jogar com 2 a 0 atrás. Antes de tomar o gol já tinha tido duas chances reais”, comentou Tite.

O treinador ressaltou o alto nível técnico da partida, porém criticou a arbitragem em apenas um lance – uma disputa de bola no segundo tempo do zagueiro Kompany com o atacante Gabriel Jesus. “Não quero falar de arbitragem, vai soar como choro. Só queria ver o VAR (árbitro de vídeo, na sigla em inglês) no lance do Gabriel. Só isso”, comentou. Para Tite, pela atuação em campo, o melhor jogador deveria ter sido o goleiro belga Courtois.

Tite levou para a entrevista coletiva dois auxiliares, Cléber Xavier e Sylvinho, mais o gerente de futebol, Edu Gaspar. Os companheiros do técnico pouco falaram, no entanto. O treinador se recusou a responder sobre o futuro por entender que após uma derrota o momento não era o apropriado. O contrato dele termina nesta Copa do Mundo. A tendência, porém, é para existir a renovação do vínculo.

A primeira derrota em jogos oficiais desde a chegada no cargo, há dois anos, fez Tite ressaltar que fez um bom trabalho com a seleção. Ele também garantiu ter aprovado o desempenho em Kazan. “Passei para a minha comissão técnica o orgulho que senti de todos. Talvez tenha faltado competência em algum momento. Mas dedicação plena, não. Mas em todos os momentos buscamos soluções Tenho orgulho do trabalho, mas um sentimento pela derrota”, comentou.