Ex-senador Arthur Virgílio quer o MMA como patrimônio do Brasil

Ex-senador do Amazonas, Arthur Virgílio (PSDB) criticou proposta do do deputado José Mentor (PT-SP) em proibir o televisionamento de lutas de MMA no Brasil.

Manaus – O ex-senador Arthur Virgílio (PSDB), praticante de muay-thai e jiu-jítsu, se manifestou contra o projeto do deputado José Mentor (PT-SP) em proibir o televisionamento de lutas de MMA no Brasil. Arthur foi além e defendeu que o MMA se torne patrimônio do País.

“O MMA já é o segundo esporte mais popular do Brasil. O José Mentor não quer proibir o MMA, mas o televisionamento. Tornando o esporte fraco e o que vai acontecer é a proliferação dos clubes de luta, desumanos, rinhas de pessoas, sem regras. No MMA você tem regras, pessoas preparadas”, defendeu Arthur, que citou outros esportes mais violentos e desleais que o Mixed Martial Arts. ]

“É um esporte menos violento que o rúgbi e mais leal que o pólo aquático (duas modalidades que são olímpicas). No pólo, ninguém fala sobre o que acontece debaixo do nível da água. Fora que eventos de MMA dão empregos diretos e indiretos”, completou.

Na avaliação de Arthur, o Amazonas precisa acompanhar a evolução do esporte e tem condições de despontar como potência na modalidade. “Temos que fazer o MMA ser um patrimônio do Brasil. O Amazonas não tem porquê não ser um dos maiores do Brasil. E o Brasil não tem que ser menor que os Estados Unidos. Nós temos o melhor material humano, o domínio do jiu-jítsu e sabemos tudo que é necessário”, afirmou o ex-senador, que garantiu que vai voltar a praticar o muay-thai e o jiu-jítsu, após um ano morando em Portugal sem praticar as artes marciais.