.

‘Imbatível’ em Manacapuru, Princesa quebra invencibilidade do Atlético Acreano

Para garantir a classificação, o time do Alto Solimões precisa conquistar mais um triunfo, diante do lanterna Real Desportivo-RO, no próximo domingo (25), em Ariquemes, interior de Rondônia.

Diogo Rocha / vencer@diarioam.com.br

Princesa derrotou o Atlético Acreano por 1 a 0 (Foto: Eraldo Lopes)
Princesa derrotou o Atlético Acreano por 1 a 0 (Foto: Eraldo Lopes)

Manacapuru – Neste domingo à tarde, o Princesa do Solimões quebrou a invencibilidade do Atlético Acreano na Série D do Brasileiro ao vencer, por 1 a 0, no Estádio Gilbertão, em Manacapuru (a 68 quilômetros de Manaus). Com mais um triunfo, dentro de casa, o Tubarão manteve os 100% de aproveitamento no Gilbertão e a vice-liderança do Grupo A1, pela quinta e penúltima rodada da primeira fase.

Para garantir a classificação, o time do Alto Solimões precisa conquistar mais um triunfo, diante do lanterna Real Desportivo-RO, no próximo domingo (25), em Ariquemes, interior de Rondônia. O concorrente direto do Princesa pela chave, o Trem-AP, ainda enfrenta o Real nesta segunda-feira (19), em Macapá (AP).

O técnico do Princesa, Alberone, explicou que planejou duas estratégias para derrotar o líder da chave, Atlético Acreano. A primeira era ‘sufocar’ o adversário nos 40 primeiros minutos e a segunda parte do esquema era recuar um pouco o time em campo para explorar os contra-ataques.

“O Campeonato Amazonense para uma equipe que não tem um elenco muito grande é totalmente desgastante. Na Série D, temos um descanso maior e por isso apresentamos uma evolução grande. O Princesa, praticamente, tem se tornado imbatível dentro dos seus domínios”, afirmou Alberone, que tem três vitórias, pelo Brasileiro, no Estádio Gilbertão.

Responsável em cobrar a falta que originou o único gol da partida, o lateral Clemilton elogiou a coletividade do Princesa. “Estamos trabalhando o dia a dia para que possamos estar à disposição do professor (técnico Alberone). Graças a Deus fomos abençoados com a vitória”, disse.

 

O jogo

Com cinco minutos de bola rolando, o Princesa do Solimões não conseguiu avançar nas finalizações diante da retranca do adversário. O artilheiro Weverton tentou duas vezes ligação com o parceiro de ataque, Branco, que nem encostou na bola. O Atlético Acreano pouco avançou no campo de defesa do Tubarão.

Dependendo de uma vitória para seguir com chances de classificação, o time do Princesa se empenhou em marcar no primeiro tempo um gol e deu trabalho para a zaga da equipe acriana. Aos sete minutos, Randerson chegou próximo da meta do goleiro do Atlético, Luiz Silva, que se antecipou para segurar a bola.

Dois minutos depois deste lance de perigo, o mesmo Randerson quase abriu o placar. O problema do Tubarão era pontaria e o volante chutou para fora perto da pequena área. O Princesa estava impetuoso em campo no Estádio Gilbertão. Mas a ofensividade do time do Alto Solimões perdia força no momento de apontar para o gol.

Aos 15 minutos, Weverton avançou rápido pelo meio de campo e ao ser derrubado na área esperou sem sucesso cavar um pênalti. O ‘matador’ do Tubarão seguiu a jogada e chutou forte levando o goleiro do Atlético a ser rápido para espalmar a bola.

O anfitrião Princesa desperdiçava oportunidades constantes de balançar as redes adversárias. E aos 17 minutos, Rafael Borges chutou uma ‘bomba’ perto da grande área que rebateu com força no travessão para desespero da torcida em Manacapuru.

O Tubarão insistia nas armações de contra-ataque. Aos 31 minutos, o meia Wander chutou fraco e nem ameaçou a meta do goleiro adversário. A equipe do Atlético Acreano, praticamente, só conseguia partir para o contra-ataque com Polaco e Careca, que eram barrados pelo goleiro do Princesa, Rascifran.

E aos 46 minutos, o lateral-direito Clemilton cobrou falta de longe da grande área e a bola desviou para o fundo das redes do Atlético Acreano: 1 a 0 para o Princesa. Mas o árbitro Djonaltan Costa de Araújo, do Pará, assinalou a autoria do gol para o zagueiro Eric, do Tubarão, por cortar a bola, de cabeça.

2º tempo

Na volta do intervalo, o time do Princesa do Solimões ganhou uma chance única de ampliar a vitória logo no início do segundo tempo. O atacante Branco avançou, pelo canto direito, e sofreu pênalti ao ser derrubado na área pelo goleiro Luiz Silva. Na cobrança da penalidade, Weverton chutou com segurança, mas o goleiro do Atlético segurou a bola.

O pênalti perdido não abalou o Tubarão e a pressão sobre o rival do Acre continuou no Estádio Gilbertão. Aos 30 minutos, a bola sobrou na grande área para Branco e o atacante errou ao finalizar. No minuto seguinte, aos 31, Wander driblou toda a defesa do Atlético Acreano e arriscou de longe para a bola cair nas mãos do goleiro.

Nos minutos finais, Wander pegou o rebote da bola chutada por Alessandro Toró e chutou com pouca força para uma defesa tranquila do goleiro Luiz Silva, aos 41 minutos. O Atlético Acreano ensaiou uma reação, aos 43 minutos, quando Careca lançou a bola por cima do travessão.

Desesperado, o Atlético procurou o gol do empate nos acréscimos. Não adiantou muito e o Princesa segurou o resultado que surpreendeu o outrora invicto rival do Acre para a comemoração dos 400 torcedores presentes no Estádio Gilbertão.