Iranduba cede a empate de 2 a 2 contra o Flamengo

Até os 48 minutos do segundo tempo, a vitória do Hulk parecia certa quando o Rubro-Negro marcou o segundo. Agora, o Verdão decidirá em casa, na Arena da Amazônia, na próxima quarta-feira

Diogo Rocha / redacao@diarioam.com.br

Mesmo com empate, Iranduba da Amazônia demonstrou grande poder de ataque e defesa (Foto: Marcos de Paula/Divulgação AllSports)

Manaus – Pelo jogo de ida das quartas de final do Campeonato Brasileiro Feminino, o Iranduba da Amazônia demonstrou grande poder de ataque e defesa, com uma inspirada goleira Rubi, mas que cedeu ao empate para o Flamengo-RJ, atual campeão da divisão. Até os 48 minutos do segundo tempo, a vitória do Hulk parecia certa, quando Bárbara frustrou a equipe amazonense com o segundo gol do Rubro-Negro, nesta quinta-feira (15) à tarde, no Cefan, do Rio de Janeiro.

Agora, o Verdão decidirá em casa, na Arena da Amazônia, em Manaus, na próxima quarta-feira (21), às 20h, pelo jogo de volta com o Fla, a vaga para as semifinais do Brasileiro. Se alcançar a classificação inédita para a terceira fase, o Iranduba pegará o classificado da partida entre Santos e Audax-SP. No primeiro jogo, o Peixe venceu, por 3 a 0, o time conterrâneo, em São Paulo.

Em caso de empate até 1 a 1, em Manaus, o Iranduba da Amazônia avança para as semifinais. Se o jogo repetir o placar, por 2 a 2, a decisão da vaga irá para os pênaltis. Vitória de qualquer lado, classificação garantida. “Claro, estávamos com o resultado nas mãos. Um empate fora de casa não é ruim e vamos decidir em casa”, afirmou, em entrevista à rádio Caxias NT, a goleira Rubi, que realizou defesas milagrosas na partida no Rio.

Atual campeão do Brasileiro Feminino, o Flamengo-RJ dominou o início da partida e teve as defesas seguras da goleira Rubi como o maior empecilho para abrir o placar dentro de casa. E logo aos dois minutos, Rayane tentou armar um ataque com a atacante Flávia e esbarrou na zaga do Verdão.

Mesmo com empate, Iranduba da Amazônia demonstrou grande poder de ataque e defesa (Foto: Marcos de Paula/Divulgação AllSports)

Com maior posse de bola, a equipe Rubro-Negra teve chances frequentes de finalização. Aos quatro minutos, Carol lançou a bola para Bárbara e mais uma vez a defesa do Hulk afastou a ameaça de gol. No minuto seguinte, aos cinco minutos, Ju driblou as zagueiras do Iranduba e chutou na meta da goleira Rubi, que evitou o gol.

A pressão do Flamengo não parou um minuto sequer e, aos oito minutos, a goleira do Verdão mais uma vez fez uma defesa milagrosa quando o Rubro-Negro cabeceou na grande área após cobrança de falta de Bárbara. O Iranduba teve a primeira oportunidade de finalizar, aos dez minutos, e a goleira do Fla, Kaká, se antecipou para defender.

O Rubro-Negro quase marcou o primeiro gol, aos 16 minutos, com Jane aproveitando saída errada da bola, pelo Iranduba. Mas a zagueira Karen estava atenta e cortou a jogada de perigo do time carioca próxima da trave. O Verdão reagiu, aos 18 minutos, em contra-ataque protagonizado pela atacante Kamilla que em um chute rasteiro obrigou a goleira Kaká se esticar para fazer a defesa.

E aos 30 minutos, a ‘baixinha’ zagueira Sorriso, de cabeça, fez 1 a 0 para o Iranduba da Amazônia ao subir alto na grande área depois de receber cobrança de escanteio. O gol do Hulk da Amazônia equilibrou mais os contra-ataques pelo lado dos dois times.

O Iranduba cresceu mais no campo adversário e passou a liderar a maioria dos lances ofensivos. Aos 34 minutos, o anfitrião Flamengo tentou sair do prejuízo em casa, com Diany tentando uma ligação com Bárbara, que a goleira Rubi anulou.

O Hulk fechou mais a marcação e o Fla ainda buscou o empate, aos 41 minutos, com Jane que chutou a bola por cima do travessão. As jogadoras do Rubro-Negro só não esperavam que na sequência viria mais um tiro de misericórdia do Iranduba antes do intervalo.

Jogo de ida das quartas de final do Campeonato Brasileiro Feminino foi realizado no Rio de Janeiro (Foto: Marcos de Paula/Divulgação AllSports)

Aos 43 minutos, a capitã do Hulk da Amazônia, Djeni Becker, cobrou falta na grande área e a bola rebateu na trave para a volante Driely, de rebote, ampliar a vitória parcial da equipe amazonense: 2 a 0. No segundo tempo, o Iranduba manteve o foco para aumentar mais a vantagem para o jogo de volta, em Manaus.

Pelo lado do Flamengo, as donas da casa voltaram a pressionar o Verdão. Aos quatro minutos, Bárbara arriscou, de longe da grande área, e nem chegou a ameaçar a meta da goleira Rubi. Em seguida, aos cinco minutos, novamente Bárbara perdeu o duelo com Rubi.

O Fla buscava desesperadamente reduzir a desvantagem no placar. Aos seis minutos, Flávia cruzou para Jane e a bola bateu na trave para aumentar a frustração. O Iranduba decidiu ficar mais na retranca para segurar o bom resultado.

Aos dez minutos, Sorriso poderia ter marcado o segundo gol dela na partida. No lance, a zagueira recebeu a bola de escanteio e, de bicicleta, chutou sem força para defesa da goleira Kaká. O Flamengo tentou de todas as maneiras arrancar um empate, mas a inspirada Rubi não deu brecha para o time carioca.

Em um intervalo de dois minutos, a goleira do Hulk da Amazônia demonstrou todo o talento. Aos 30 minutos, Emilião cobrou escanteio e Carol pegou, de cabeça, para Rubi segurar a bola. Na sequência, aos 32 minutos, Tânia Maranhão também cabeceou e Rubi defendeu outra vez.

O Flamengo tinha as melhores oportunidades com Bárbara. Aos 38 minutos, a artilheira do Rubro-Negro levou Rubi a uma defesa complicada. A vitória do Iranduba parecia garantida até a reta final do segundo tempo, quando a equipe anfitriã demonstrou garra.

E aos 44 minutos, Raquelzinha cabeceou e diminuiu para o Flamengo. O Hulk tentou segurar o último ímpeto do adversário. Mas aos 48 minutos, a insistente Bárbara finalmente marcou e deixou tudo igual no placar, 2 a 2, jogando um banho de água fria no ânimo do Iranduba.