Nacional sinaliza desfecho com longo negócio da China

Acordo com a empresa multinacional Ledman Sports e o clube amazonense para assumir o controle do futebol do Leão da Vila já dura sete meses. Contrato deve ser finalmente assinado em novembro

Natasha Pinto / vencer@diarioam.com.br

Manaus – E entrou nos capítulos finais a novela entre Nacional e a Ledman Sports, empresa chinesa que planeja assumir e financiar nos próximos 20 anos o futebol profissional e amador do clube amazonense. A negociação para terceirizar o departamento de futebol do Naça com a Ledman já dura sete meses, desde que o presidente do Leão da Vila, Roberto Peggy, anunciou o negócio que será milionário ao clube, segundo o próprio dirigente azulino.

Na última quinta-feira (4), o diretor da BSI Soccer, Denilson Rosa, representante nacional da Ledman no Brasil, esteve em Manaus para fazer relatório do CT Barbosa Filho para a empresa oriental. Em entrevista exclusiva à REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), ele explicou que o relatório contém informações da atual situação da infraestrutura do centro de treinamento.

Representante nacional da empresa chinesa no Brasil visitou, na quinta-feira, o CT Barbosa Filho, do Naça, para averiguar a infraestrutura (Foto: Eraldo Lopes)

“O motivo da minha vinda a Manaus foi averiguar as instalações do clube. Eu irei fazer o relatório final, passar para a Ledman e, assim, chegarmos juntos a uma decisão. Nós temos que apresentar para os chineses um clube que nos ofereça mais parcerias, um clube que pense em crescer”, disse o representante da BSI.

“Existe, sim, a possibilidade de conseguirmos fechar o contrato no fim do mês por avaliar a minha visita como bem produtiva. O objetivo da BSI/Leadman é patrocinar o Nacional, fazer a parceria e levar o clube à elite do futebol”, completou.

Sobre uma futura reforma do centro de treinamento do Leão da Vila, Denilson falou que, atualmente, as instalações ainda não correspondem com o padrão chinês de excelência. O representante da Ledman Sports não especificou quais seriam os padrões exigidos pela empresa, mas que, posteriormente, haverá uma modernização de todo o CT Barbosa Filho.

“A estrutura do CT Barbosa Filho é boa, mas para o que queremos não. Para chegar ao que almejamos tem que mudar muita coisa. A princípio, dar para começar o trabalho. Podemos fazer uma reforma rápida, porém, nada grandiosa. A intenção da BSI/Ledman é mudar totalmente o CT. Modernizar e deixá-lo no padrão internacional, bem diferente do encontrado aqui em Manaus. Ainda não posso dizer quando começará a reforma, pois dependerá da Ledman”, despistou.

O diretor da BSI Soccer, Denilson Rosa, também falou um pouco do motivo do interesse da empresa multinacional no clube local. Como a Ledman Sports já ter contatos na Região Sudeste do País, os chineses queriam ter representatividade também na Região Norte. Inclusive, Denilson revelou que outro clube de Manaus procurou a parceira, mas preferiu não revelar o nome.

“Nós também temos negociações com outros clubes, dois de São Paulo e dois do Rio de Janeiro, além de clube das Séries B e A (do Brasileirão). O Nacional é interessante para nós devido se localizar no Amazonas, na Região Norte. E isso para nós é um ponto positivo para o que queremos. Foi consultado outro clube aqui, mas a tradição do Nacional no Estado pesou”, explicou.

O contrato do Naça com a Ledman Sports, conforme o diretor da BSI, ainda não está fechado, mas, até o início de novembro, a comitiva chinesa virá a Manaus para, enfim, oficializar a parceria. “O que eu posso passar sobre a questão do contrato é que, praticamente, está fechado e em meados de novembro devemos começar a montar a equipe para o Estadual de 2019”, finalizou Denilson.

O presidente do Nacional, Roberto Peggy, analisou a vinda da BSI Soccer como importante e que realmente mostra o interesse da empresa chinesa em se vincular ao clube. “Ficamos satisfeitos em saber que eles estão interessados, principalmente, com a notícia de que o contrato está celebrado, com o orçamento aprovado e que em novembro virá a comitiva da empresa”, finalizou Peggy.

No ato da assinatura a Ledman Sports terá os direitos sobre o clube por duas décadas e o clube irá receber U$ 1 milhão, em torno de R$ 4 milhões. A empresa chinesa de LEDs já possui diversos investimentos no futebol da China e de Portugal, como o Title Sponsor, time da Ledman Ligapro, da segunda divisão do Campeonato Português.