Timão defensivo para 1ª final com Cruzeiro

Pelo jogo de ida da grande decisão da Copa do Brasil, Corinthians optará pela retranca para investir nos contra-ataques, nesta quarta, no Mineirão. Estratégia é deixar a briga pelo título em aberto

Estadão Conteúdo / redacao@diarioam.com.br

Belo Horizonte – O Corinthians entrará em campo, nesta quarta-feira (10), às 20h45 (de Manaus), no Mineirão, à espera do Cruzeiro. O raciocínio é que um empate no primeiro jogo da decisão da Copa do Brasil estará de bom tamanho. A expectativa é deixar a final em aberto e buscar o tetra diante de seus torcedores, na Arena Corinthians, na próxima quarta-feira.

Lateral Fagner, recuperado, volta ao time paulista após dois jogos ausentes (Foto: Alex Silva/Estadão Conteúdo)

Se o Corinthians não é segredo para ninguém, a Raposa é toda mistério na escalação. Mas o técnico Mano Menezes já disse que seria complicado ter de buscar um resultado em São Paulo diante de 45 mil corintianos. O Cruzeiro tenta o hexa, que o isolaria como maior vencedor da competição. Atualmente, divide esse posto com o Grêmio.

Se pode esperar no jogo de ida, hoje, um Timão bem postado defensivamente, em busca do contra-ataque. Algo semelhante ao que ocorreu no empate sem gols contra o Flamengo nas semifinais, no Maracanã, quando foi criticado. A pequena diferença é que desta vez Jair Ventura não colocará em campo três volantes. Com quatro jogadores de velocidade na frente – Romero, Jadson, Mateus Vital e Clayson -, a ideia é ao menos tentar sair rápido quando tiver a posse de bola. Contra o Fla, o Corinthians não chutou a gol.

A boa notícia é a presença de Fagner na lateral direita. Ele ficou afastado dos últimos dois jogos por causa de uma fibrose na coxa esquerda, mas demonstrou estar recuperado. No meio-campo, sem poder contar com Douglas, suspenso, Jair optou por Gabriel.

No último trabalho antes da partida, Jair comandou um treino tático e deu atenção especial aos cruzamentos na área. O treinador parou a atividade inúmeras vezes para acertar o posicionamento dos zagueiros e evitar o que aconteceu no jogo passado. Na derrota para o Flamengo, por 3 a 0, os dois primeiros gols foram de jogadas de escanteio.

“O professor tem conversado muito com a gente. Estamos prontos. Na semifinal fomos muito criticados por não ter atacado, não ter chutado no gol. Mas no jogo de volta conseguimos o resultado em casa e passamos para a final”, destacou Cássio.

Do outro lado, o Cruzeiro terá que sair para o jogo, apesar de não ser a estratégia que Mano Menezes mais goste. Eliminado da Libertadores pelo Boca Juniors, fora da luta pelo título do Brasileiro, o time mineiro só tem a Copa do Brasil como esperança de ser campeão. Por isso, cada detalhe é importante para o técnico. Ontem, ele fechou o treino e não confirmou a formação ofensiva de sua equipe.

As principais dúvidas são o substituto de Arrascaeta e se Barcos seguirá no comando do ataque. Arrascaeta foi convocado pelo Uruguai para dois amistosos e o Cruzeiro não conseguiu sua liberação. Rafinha e Rafael Sobis disputam a vaga. Para a posição de centroavante, Fred, recuperado de lesão, pode surgir entre os titulares. Raniel também está na briga.