Vasco e Santos jogam sem torcida neste domingo, no Rio

Após confusão e morte de um torcedor no clássico com o Flamengo, Cruz-Maltino jogará no Engenhão vazio

Das Agências / redacao@diarioam.com.br

Para superar a ausência da torcida, o lateral-esquerdo Ramon pediu “força mental” aos companheiros de time (Foto: Paulo Fernandes/Vasco)

Rio de Janeiro – Depois da confusão em São Januário, na semana passada, o Vasco vai perder um elemento importante no duelo contra o Santos, neste domingo (16), às 15h (de Manaus), no Rio de Janeiro: a torcida. Com seu estádio interditado, o time carioca jogará no Estádio Nilton Santos – o Engenhão – vazio, como punição prévia ao tumulto que deixou um morto fora do estádio, após o clássico contra o Flamengo.

Para superar a ausência da torcida, o lateral-esquerdo Ramon pediu “força mental” aos companheiros de time. “Temos que, mentalmente, sermos muito fortes em um jogo desse. É do ser humano relaxar quando não tem pressão. Então, para jogar em um estádio vazio, você precisa estar mentalmente forte. Esse é um ponto que temos que estar ligados no jogo”, avisou.

A força extra será importante porque Ramon espera um duelo complicado contra o Santos, atual terceiro colocado do Brasileirão. “O Santos é uma equipe rápida, com jogadores de qualidade, como o Bruno Henrique, o Kayke, o Lucas Lima. Possuem uma defesa boa e um goleiro que vive uma fase excepcional”, alertou. O duelo deste domingo vai marcar o 100º jogo de Ramon com a camisa do Vasco.

O Cruz-Maltino não terá Luis Fabiano e Breno para o jogo deste domingo. Por outro lado, Bruno Paulista voltou a ficar à disposição do técnico Milton Mendes, após se recuperar de lesão.