Lutar sem deixar de ‘servir e proteger’ no Amazonas

Policial militar Marcos Barroso se divide entre as rondas de combate ao crime com os treinamentos de caratê

Natasha Pinto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Muitos atletas dividem o treinamento com a vida profissional para se manter no alto rendimento, no Amazonas. O carateca Marcos Barroso, 28, atual segundo lugar do ranking nacional na categoria -75 kg, não é uma exceção, mas se difere por ter que atuar nas noites e madrugadas nas ruas de Manaus no combate ao crime como policial militar.

Marcos revelou que o caratê serve como complemento na sua profissão, principalmente, quando precisa fazer rondas nas ruas da cidade. “O caratê me ajuda desde o estado de alerta quando estou na viatura, como na defesa pessoal ou para imobilizar um meliante, manter-se calmo quando acontece alguma situação de risco”, explicou.

Mesmo com a vida atarefada, o carateca consegue sempre arranjar um tempo para os treinamentos no dojô do Comando de Policiamento Metropolitano (CPM), no bairro Praça 14, na zona sul de Manaus. O tempo de preparação de Barroso nos tatames varia conforme a escala na PM.

“Os atletas de alto rendimento têm todo o apoio de estrutura. Eu já passo noites em claro, escalas e treinamento. É bem cansativo, mas quem quer chegar a algum lugar não olha para os problemas, se fortalece em meio às dificuldades”, disse.

Os ensinamentos da arte marcial ajudam Barroso a ficar em estado de alerta, a melhorar a defesa pessoal e imobilizar suspeitos durante as rondas policiais (Foto: Eraldo Lopes)

Campeão do Open do Rio de Janeiro e bronze no Campeonato Brasileiro, em João Pessoa (PB), ambos em 2018, agora os próximos desafios do policial-carateca é tentar a qualificação para disputar uma vaga olímpica. O objetivo é difícil, já que somente são disponibilizadas dez vagas, onde todos os países devem disputar torneios internacionais para as conquistar.

“Meu objetivo principal é começar a competir os eventos internacionais a partir desse fim de ano. Essas competições são visando à vaga olímpica. Meu caminho começa com o Karatê Série A, em Shangai, na China, no período de 7 a 9 de dezembro. Sonhamos sempre alto e que venha o que Deus achar que merecemos”, declarou.

As conquistas do oficial Marcos Barroso chamaram a atenção de outros companheiros de farda, que começaram a praticar a arte marcial. Até que, há dois meses, o CPM iniciou um projeto de caratê na corporação.

E o mestre do policial-atleta, Kodansha Afremon Bragança avalia como essencial o incremento da arte marcial dentro da corporação. “Eu tenho esse propósito de dar apoio a eles, de ensinar algumas técnicas do caratê para o dia a dia do policial, que servirá não só para imobilizar meliantes, mas para a sua própria defesa”, explicou o mestre.

E as aulas já vêm demonstrando efeito no dia a dia dos policiais. Na madrugada do dia 26 de outubro, o oficial Felipe Coelho precisou dos ensinamentos que recebeu para poder salvar sua vida e imobilizar um indivíduo, que havia incendiado sua própria casa.

“Cheguei a uma ocorrência de incêndio, no local havia um indivíduo que usou substâncias ilícitas e se mutilava com uma faca. Na tentativa dos bombeiros de apagarem as chamas, o homem tentou sair do local e me atacou, já que estava na frente da saída. No primeiro momento a minha arma falhou, então, utilizei o caratê para imobilizá-lo e retirar a faca de sua posse. Foi tudo muito rápido. Posso dizer que neste dia, o caratê salvou minha vida”, finalizou o oficial.