Maria Taba chega ao Minas Tênis Clube e foca em Tóquio-2020

Judoca amazonense entrou para equipe do famoso clube de Belo Horizonte (MG), com infraestrutura de alto nível e uma equipe multidisciplinar

Natasha Pinto / vencer@diarioam.com.br

Manaus – Há quase nove meses treinando no Minas Tênis Clube, em Belo Horizonte (MG), a judoca amazonense Maria Taba, 19, está vivendo uma ótima fase nos tatames do País. Medalhista em vários torneios em nível nacional na categoria -52kg, a manauara foi convocada pela Confederação Brasileira de Judô (CBJ) para integrar a equipe sub-21 da Seleção que disputará o Mundial, entre os dias 19 e 22 de outubro, em Nassau, nas Bahamas. Além de Maria Taba, outros 19 brasileiros irão participar da competição.

A REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) acompanhou o treinamento da atleta em Belo Horizonte para a seletiva do Mundial, que ocorreu em Pindamonhangaba (SP), no mês passado. E apesar de estar desde janeiro no novo clube, Maria admitiu que ainda está se acostumando com a rotina de alto rendimento no Minas Tênis.

No clube mineiro, atleta treina diariamente, de segunda a sábado (Foto: Divulgação)

“Ainda estou em fase de adaptação, isso leva mais ou menos um ano para acontecer. Antes (em Manaus) eu treinava três vezes na semana, aqui é todo dia, de segunda a sábado, como também é a academia. Mas este ano já consegui resultados expressivos, como o vice no Meeting e no Brasileiro Sub-21 e ser campeã da Taça Brasil da categoria. Então, estou tendo um ano maravilhoso com o Minas”, afirmou.

Segundo a judoca, a diferença entre Manaus e Belo Horizonte não é somente na quantidade de treinos, mas também na estrutura do grupo interdisciplinar que a rodeia. Uma equipe de especialistas de várias áreas que Maria Taba não tinha enquanto estava na capital amazonense.

“A diferença daqui (no Minas Tênis Clube) para o que eu tinha no Amazonas em termo de estrutura, é que aqui (em Belo Horizonte), eu tenho tudo (riu a judoca). Tenho fisiologista, fisioterapia, preparador físico, massoterapeuta, entre outras coisas, tudo isso a minha disposição. Se eu sentir algum desconforto, posso ir de imediato com eles, que irão me avaliar e depois, repassam tudo para o sensei Fúlvio Miyata”, explicou a amazonense.

Mudando de casa

A transformação na vida esportiva de Maria começou quando a amazonense faturou a Copa Minas de Judô, em Belo Horizonte (MG), há quatro anos, pelo Amazonas. Na época, ela treinava no Shiai Judô Team, no bairro São Raimundo, na zona oeste de Manaus, quando conheceu a estrutura do Minas Tênis Clube e se apaixonou pelo clube celeste.

Maria Taba chega ao Minas Tênis Clube e foca em Tóquio-2020 (Foto: Divulgação)

E o convite para integrar a equipe mineira de judô surgiu na mesma competição, mas a paixão só se tornou realidade em janeiro deste ano. “O convite veio desde 2014, quando disputei a Copa Minas. Desde lá, eu sempre quis treinar no Minas Tênis, mas meus pais disseram que primeiro teria que terminar o colegial. Recusamos a oferta na época. Após me formar, fiz o teste para fazer parte da equipe. Passei e estou realizando o meu sonho de treinar em um grande clube do Brasil”, contou.

E quanto à saudade da cidade natal, Maria não escondeu que sente falta da família e dos amigos que deixou em Manaus para seguir seus sonhos. Emocionada, a jovem judoca revelou que tenta manter contato por meio das redes socais, mas nada se compara à convivência do dia a dia.

“Eu morro de saudade dos meus amigos, da minha academia, da minha ‘irmã gêmea’ que é a minha melhor amiga (a judoca Camila Rocha) e claro que dos meus pais. Eles vêm me visitar de vez em quando e eu sempre choro quando os vejo, principalmente, quando eles vão embora. É muita saudade que não sabia que podia sentir, é algo que não tem como explicar,”, desabafou com lágrimas nos olhos.

Carreira militar e briga para se manter no ranking do País

A pouca idade não foi desculpa para que a judoca Maria Taba, aos 19 anos, conseguisse realizar um outro sonho já este ano, que vai além do tatame. No mês passado, a manauara se tornou terceiro sargento da Marinha do Brasil e agora também disputará as competições militares.

“Começou sendo um sonho da minha família, que acabou sendo o meu também. Mas o meu pai queria que eu fosse para o Exército e eu tenho um sensei que é da Aeronáutica, mas onde abriu vaga foi na Marinha, então, decidi arriscar. Me inscrevi, fiz a prova, o teste de aptidão físico e consegui realizar mais esse sonho. Fiquei muito feliz em me tornar sargento e agora tenho como maior missão as Olímpiadas e o Mundial Militar”, declarou.

Missão que pode estar próximo de acontecer. Atualmente, a amazonense é quarta no ranking nacional na categoria sênior e, de acordo com Maria Taba, seus treinos estão voltados para que possa participar da Olimpíada de Tóquio, no Japão, em 2020.

“O meu foco está sendo mesmo a Olimpíada de 2020. Na verdade, todos nós aqui estamos com este pensamento e sabemos do que precisamos para conseguir essa vaga. No meu caso, tenho que ficar entre as nove primeiras do ranking para disputar a vaga na minha categoria que é -52kg”, explicou.

“Atualmente, estou entre as quatro primeiras (do Sênior) e o que vai decidir será o Brasileiro no fim do ano. Medalhando, consigo me manter entre nove e disputar uma vaga e, quem sabe, conquistá-la. Mas primeiro preciso me classificar para as seletivas”, completou a judoca.