Média de público do Campeonato Amazonense pouco se altera

O recorde de público por rodada do Campeonato Estadual deste ano foi registrado na abertura, quando 3.326 pessoas compareceram aos estádios e compraram ingressos.

Manaus – A quantidade maior de jogos da fase final do primeiro turno do Campeonato Amazonense, disputados em ida e volta neste ano, aumentou em apenas 5% a média de público e recuou em 0,5% a arrecadação em relação à mesma fase em 2011. Apesar disso, a frequência de torcedores na etapa decisiva foi 335% maior que na classificatória.

Excluídas as seis últimas partidas, a média de público é de 410 pessoas, com a renda de R$ 3.644. Se analisada apenas a fase final deste ano, a média foi de 1.785 pagantes e R$ 15.613 por partida. Os times lucraram R$ 93.680 com a comercialização de 10.715 ingressos nos seis confrontos finais. Em 2011, a média foi de 1.684 pessoas pagantes para uma renda de R$ 15.696 em três jogos (duas semifinais e a final). Ao todo, 5.054 torcedores geraram R$ 47.090 de renda.

Considerados os 51 jogos disputados na Taça Estado do Amazonas, primeiro turno do Estadual, a média de torcedores pagantes aumentou 2% e a renda 1%, em relação ao primeiro turno do Estadual de 2011. Semifinais e final representaram 36,2% de todo o dinheiro pago pelos torcedores na primeira fase.  Na primeira etapa do ano passado, a média foi de 560 torcedores e a atual é de 572. Ao todo, 29.180 pessoas compraram ingressos este ano para as partidas do Estadual. Em 2011, com um jogo a menos por rodada, o total foi 25% menor (21.853 pagantes).

Em comparação ao total arrecadado na primeira fase de 2011, R$ 195.565, a movimentação foi 32,2% maior. Na época foram disputados 39 jogos, 12 a menos que neste ano, porque o número clubes de foi inferior (9) e as semifinais e final ocorreram em confronto único.

O recorde de público por rodada deste regional foi registrado na abertura, quando 3.326 pessoas compareceram aos estádios e compraram ingressos. A marca quase foi superada em um único jogo. O público pagante da final do último sábado (17), entre Nacional e Princesa do Solimões, no Estádio Roberto Simonsen – o Sesi, totalizou 3.108 torcedores.

Falta de estádio não justifica

À exceção do Penarol, de Itacoatiara (a 176 quilômetros a leste de Manaus), que teve a maior média de público do Estadual de 2011, a alegação da Federação Amazonense de Futebol (FAF) de que a falta de estádios contribui para o baixo prestígio do Estadual não justifica o fato. Neste ano, o Campeonato Amazonense tem dois campos a mais em comparação a 2011. Os Estádios Ismael Benigno – a Colina, na capital, e Flávia de Oliveira – o Bacurauzão, em Manicoré (a 332 quilômetros a sudoeste de Manaus) reforçam o número de praças esportivas liberadas para os jogos.

O único prejudicado pelas restrições impostas pela capacidade do estádio no regional é o Leão da Velha Serpa. O Estádio Floro de Mendonça está parcialmente interditado para reformas e pode receber, no máximo, 700 torcedores, sentados. Em 2011 a média do time foi de 1.490 pagantes nas quatro partidas como mandante no primeiro turno. Neste ano a proporção é de 690,5 torcedores nos seis jogos do time, em casa.

Exemplo de que a falta de estádios com capacidade superior a dez mil lugares não influencia na baixa frequência dos torcedores é o Nacional, campeão do primeiro turno deste ano. No comparativo do primeiro turno do ano passado, a média de nacionalinos nos estádios cresceu 98,2%, passando de 661,2 pagantes nas quatro partidas que disputou como mandante para 1.311 nas sete partidas de 2012. Ainda assim, essa quantidade ocupa apenas 33,5% da capacidade total (3.914) do Estádio Roberto Simonsen – o Sesi, onde o Leão da Vila Municipal manda os jogos no Estadual, em Manaus.