No Strikeforce, Pezão massacra a lenda russa Fedor Emelianenko

Antonio Silva, o Pezão, humilhou o favorito ao título do Strikeforce, que após a segunda derrota seguida, cogitou a aposentadoria.

Manaus – Outro brasileiro acabou com a lenda russa Fedor Emelianenko. Sete meses após ter perdido para Fabrício Werdum, Fedor não foi páreo para Antonio Silva, o Pezão, lutador nascido em Campina Grande, no interior da Paraíba. Pezão massacrou o russo e venceu por nocaute técnico na noite deste sábado, em Nova Jersey, nos Estados Unidos, na rodada de abertura das quartas de final do Grand Prix de Pesos Pesados do Strikeforce.

Pezão agora espera o vencedor da luta entre Werdum e o holandês Alistair Overeem, programada para abril. Após a histórica e surpreendente vitória deste sábado, o paraibano não escondeu o choro. Já Fedor saiu com o olho direito fechado e visivelmente abatido.

A luta

No primeiro round, o brasileiro foi melhor. Pezão acertou bons socos que balançaram a lenda russa. Com boas quedas, o brasileiro parecia ter superado o adversário que chegou a balançar após sofrer um soco. Ainda assim, dois dos três juízes deram vitória ao russo por 10 a 9. O outro juiz deu o mesmo placar para o brasileiro.

No segundo round, Pezão humilhou. Derrubou o russo nos primeiros segundos, montou no adversário, e passou os cinco minutos socando Fedor e tentando diferentes finalizações. Com o rosto massacrado e o olho direito fechado, não houve como retornar para o terceiro round e os médicos decretaram que ele não lutaria mais. Na contagem dos três juízes, o brasileiro venceu por 10 a 8.

Fedor nunca havia sido tão dominado numa luta. A derrota anterior, para Werdum, em menos de um minuto, o russo foi finalizado sem ter sofrido um soco.

Agora, com duas derrotas em menos de oito meses, Fedor, que passou quase uma década sem perder, já não descarta a aposentadoria. “Algo deu errado desde o início da luta e eu não consegui corrigir. Talvez seja a hora de partir. É, talvez esta tenha sido a última vez. Talvez seja a hora. Obrigado a todos por tudo. Tive uma grande, bela e longa carreira esportiva. Talvez seja a vontade de Deus que eu pare”, afirmou, na primeira entrevista após a derrota.

Dana White comemora

O presidente do Ultimate Fighting Championship (UFC), Dana White, não escondeu a alegria ao ver o russo Fedor Emelianenko perder mais uma vez. Fedor é considerado um dos maiores lutadores da história e um dos melhores a nunca ter lutado no UFC. Dana e o russo nunca chegaram a um acordo e, por isso, o norte-americano não perdeu a chance de ironizar a principal estrela do evento rival – Strikeforce.

Pelo twitter, Dana publicou o sinal de sorriso ” 🙂 ” e, em seguida, disse: “M1 = M acabada”, referindo-se à organização que cuida de Fedor. “Ele foi incrivelmente mal gerenciado. Um dos piores gerenciamentos na história das lutas”, completou o presidente do UFC.

Torneio dos Pesados

Outra luta valendo pelas quartas de final do Grand Prix de Pesos Pesados do Strikeforce foi entre o bielo-russo Andrei Arlovski e o russo Sergei Kharitonov. Apesar de começar a luta mais animado, Arlovski terminou o combate desmaiado após sofrer um soco de esquerda quando já estava no chão ao levar um knockdown com um soco de direita. Esta foi a quarta derrota seguida de Arlovski, que já está eliminado do torneio. Já Kharitonov espera o vencedor entre Brett Rogers e Josh Barnett, também programada para abril.

Card principal

Na primeira luta do card principal, o neo-zelandês Ray Sefo, que fez parte do time de técnicos de Vitor Belfort antes da última edição do UFC, perdeu para o holandês Valentijn Overeem, irmão de Alistair. No início, Ray até conseguiu trocar bons socos, mas foi derrubado e virou presa fácil no chão. Valentijn agora é um dos reservas e pode entrar na semifinal do Grand Prix de Pesos Pesados do Strikeforce, caso algum dos titulares esteja contundido.

Em seguida, outra luta decidida no primeiro round. Em confronto entre norte-americanos, Chad Griggs, mesmo com a orelha esquerda estourada após um chute, nocauteou Gian Villante. Chad fez jus ao apelido de coveiro e acabou a luta de maneira incontestável.

No terceiro combate, outro confronto entre norte-americanos e, novamente, a luta não passa de cinco minutos. Melhor para Shane Del Rosario, que manteve a invencibilidade em 11 lutas no MMA (sigla em inglês para o esporte que mistura de artes marciais). Ele finalizou Lavar Johnson no final do primeiro round com uma chave-de-braço.

Card preliminar

O carioca Igor Gracie foi outro brasileiro no evento. Ele enfrentou, no card preliminar, o norte-americano John Salgado. O primeiro round foi equilibrado e os três juízes deram uma pequena vantagem ao brasileiro (10 a 9). No segundo, não houve dúvidas. O carioca fez jus ao sobrenome e finalizou Salgado com um triângulo de braço. Como o adversário não bateu para interromper a luta, o juiz Kevin Mulhall acabou interferindo ao ver o norte-americano desmaiado.