Wilson Lima quer fazer parceria para diminuir custos da Arena da Amazônia

Durante entrevista a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO, o governador eleito falou sobre como diminuir a manutenção da Arena, que custa aos cofres públicos R$600 mil por mês, sobre o perfil do próximo secretário de Juventude, Esporte e Lazer e, também, sobre o desenvolvimento do desporto no interior

Antônio Barros Jr / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Eleito o governador do Amazonas no último pleito com mais de 1 milhão de votos, o jornalista Wilson Lima, 42, visitou a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC), na última terça-feira (30), e, entre uma entrevista e outra, explanou sobre o que pensa para o desenvolvimento do desporto estadual com a equipe de reportagem do Vencer. Nascido na cidade de Santarém, no Pará, Lima é casado e pai de dois filhos.

Durante a entrevista, ele falou sobre como diminuir a manutenção da Arena da Amazônia, que custa aos cofres públicos R$600 mil por mês, falou sobre o perfil do próximo secretário de Juventude, Esporte e Lazer e falou, também, sobre o desenvolvimento do desporto no interior. Confira a seguir:

O que você pensa para o esporte durante o seu governo?
Wilson Lima – Eu penso que o esporte é fundamental no combate à violência. O esporte, a cultura e o lazer são fundamentais para manter nossa juventude longe das drogas e longe da violência. Temos, também, algumas ferramentas que são importantes e que vão agregar aos jovens, como por exemplo o esporte de alto rendimento, programas sociais e a base esportiva de uma maneira geral. Tenho uma simpatia com o esporte de base e para que todos os jovens possam participar, precisamos investir para que tenhamos o esporte sempre forte.

Capital e interior trabalharão juntos no desenvolvimento do esporte de base (Foto: Sandro Pereira)

O Estado tem uma conta de R$ 600 mil por mês com a Arena da Amazônia. Como equacionar essa dívida?
WL – No nosso governo, vamos trabalhar muito para encontrar uma solução para o Estado não pagar esta conta sozinho. Para custear a Arena da Amazônia, logo de início, pensamos em fazer uma parceria pública privada para equacionar esse valor. Como já vem acontecendo. Assim, vamos ter o espaço para realizar grandes eventos e conseguiremos equacionar essa conta. Será de uma maneira mais intensa, para que a despesa estadual seja menor.

Você citou o esporte de Alto Rendimento. Isso significa que a Vila Olímpica do Amazonas pode ter uma atenção a mais na sua gestão?
WL – Bem, a Vila Olímpica precisa ser recuperada. Queremos montar uma equipe multidisciplinar para dar garantias ao atleta que passa pela Vila. Queremos dar oportunidade ao jovem atleta da comunidade. Existem muitos jovens atletas que querem uma oportunidade. E quando falo em oportunidade, não é só dar uma passagem. Mas de uma estrutura necessária para vencer, como treinamentos e atendimentos voltados para o alto rendimento, para que ele possa se desenvolver como atleta e posteriormente se tornar um vencedor.

“Eu penso que o esporte é fundamental no combate à violência. O esporte, a cultura e o lazer são fundamentais para manter nossa juventude longe das drogas e longe da violência. Precisamos investir para termos o esporte sempre forte” – Wilson Lima, governador eleito do Amazonas

Como o senhor vai desenvolver o esporte no interior?
WL – O que vamos fazer é uma integração capital e interior. E um dos caminhos são os Jogos Escolares do Amazonas, o Jeas. A partir dos jogos estudantis, começaremos a filtrar os possíveis talentos, para que, os que possuem potencial comecem a ter o nosso apoio. Não em nível de estado. Mas queremos integrar calhas. Regiões, e assim, conseguir, de fato, integrar o esporte em todo Estado, dando oportunidade para que as crianças possam brilhar no esporte.

A Sejel sempre passou nas mãos de políticos. O senhor disse que ainda não tem os nomes definidos de quem deve gerir as secretarias. Mas, fale um pouco sobre o perfil que o senhor idealiza para ser o gestor do esporte estadual?
WL – Não diferente do perfil que queremos para fazer parte da nossa gestão. Este é o momento em que precisamos de gente qualificada. Técnicos que tenham o compromisso de fazer um bom trabalho. Não diferente de outros setores, precisamos de gente comprometida em fazer a mudança no esporte estadual que Amazonas tanto precisa.