Trump declara ‘missão cumprida’ em relação a ataque na Síria

'Não poderia ter tido um resultado melhor. Missão Cumprida!', declarou o presidente dos Estados Unidos em uma rede social. O Conselho de Segurança da ONU vai se reunir, a pedido da Rússia, após os ataques realizados

Estadão Conteúdo / redacao@diarioam.com.br

São Paulo – O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou na manhã deste sábado (14) que o ataque contra alvos sírios relacionados a armas químicas foi “perfeitamente executado”. “Não poderia ter tido um resultado melhor. Missão Cumprida!”, declarou, em sua conta no Twitter.

“Missão Cumprida!”, declarou em uma rede social. (Foto: Reprodução)

Trump também agradeceu a seus aliados e às forças militares norte-americanas. “Obrigado à França e ao Reino Unido por sua sabedoria e pelo poder de seu excelente exército”, afirmou, acrescentando que estava orgulhoso dos militares de seu país, “que em breve serão, depois do gasto de bilhões de dólares totalmente aprovados, os melhores que nosso país já teve. Não haverá nada, nem ninguém, nem perto”.

Na noite desta sexta-feira, forças militares dos EUA, Reino Unido e França lançaram ataques aéreos contra um centro de pesquisa, instalações de produção e armazenamento de armas químicas, entre outros alvos sírios, em retaliação a um suposto ataque de armas químicas liderado pelo regime de Bashar al-Assad, na semana passada que deixou 75 mortos.

O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) vai se reunir neste sábado, a pedido da Rússia, após os ataques realizados na última passada pelas forças armadas de EUA, França e Reino Unido a alvos sírios, informou um diplomata da ONU.

O presidente russo, Vladimin Putin, considerou o ataque “um ato de agressão” que só vai piorar a crise humanitária na Síria. “Com suas ações, os EUA estão aprofundando uma catástrofe humanitária na Síria”, disse, em um comunicado divulgado neste sábado.

O Conselho de Segurança realizou reuniões de emergência na última semana sobre o suposto ataque químico realizado no fim de semana passado em Douma, no subúrbio de Damasco. O presidente dos EUA, Donald Trump, e seus aliados britânicos e franceses dizem que os ataques aéreos eram necessários para impedir o uso de armas químicas pela Síria.

A Rússia insiste que não há provas de que armas químicas tenham sido usadas em Douma. Uma equipe de investigação da Organização para a Proibição de Armas Químicas está na Síria para investigar o caso.