Após estudo, CPRM recomenda que Praia da Ponta Negra seja interditada

De acordo com o superintendente da CPRM, Marco Antônio Oliveira, há um desnível brusco da parte mais rasa para a parte mais funda, causando risco aos banhistas.

Manaus –  O Serviço Geológico do Brasil (CPRM) recomendou que a Praia da Ponta Negra seja fechada por conta dos buracos verificados por toda a extensão do balneário.

A recomendação foi anunciada nesta quarta-feira e teve como base uma análise realizada no terreno, feita pelos técnicos da CPRM, que constatou a existência de problemas no aterro realizado pela Prefeitura de Manaus para a criação de uma praia perene. Desde o lançamento da obra, 13 pessoas já morreram afogadas no balneário.

De acordo com o superintendente da CPRM, Marco Antônio Oliveira, há um desnível brusco da parte mais rasa para a parte mais funda da praia, o que causa alto risco de afogamentos para os banhistas. “A obra criou um terreno irregular, com desníveis fundos”, explicou Marco Antônio.

Segundo ele, foi feito um aterro que avançou 80 metros em direção ao rio. “Com isso, na frente do aterro, você já pega a parte funda do rio. As pessoas dão dois ou três passos e já encontram os buracos”, ressaltou.

O laudo inicial deveria ser divulgado somente dia 15 de dezembro, porém, após pedido da Câmara Municipal de Manaus (CMM), a CPRM antecipou os números já obtidos. Nesta primeira parte do estudo, foram coletados dados hidrológicos que mostram a linha abaixo da água. “Os dados hidrológicos são bem consistentes e mostram que existe uma situação de risco para o banhistas”, destacou ele, acrescentando que, no dia 15 de dezembro, será divulgado se a areia do rio está se movimentando.