Caem reclamações contra operadoras, aponta Anatel

Segundo a Agência, foram registradas 1.640 queixas contra 1.330 em 2017, no Amazonas, um recuo de 310 registros contra as empresas de banda larga fixa, telefonia móvel, telefonia fixa e TV paga

Beatriz Gomes / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O número de reclamações contra as prestadoras de serviços de telecomunicações no Amazonas caiu 18,9% em agosto, comparado ao ano passado. Segundo dados da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), foram registradas 1.640 queixas contra 1.330 em 2017, um recuo de 310 registros no período de um ano contra as empresas de banda larga fixa, telefonia móvel, telefonia fixa e TV por assinatura. Em todo o País, houve queda.

Reclamações caíram também em nível nacional, nos 12 meses. (Foto: Eraldo Lopes/RDC)

Foram registradas 250,6 mil reclamações de usuários contra as prestadoras redução de 58 mil registros (-18,8%) nos últimos 12 meses. Em relação a julho, agosto de 2018 apresentou aumento de 7,4 mil reclamações (3,03%). No entanto, a variação em relação a julho de 2018 é sete pontos percentuais menor do que a ocorrida entre agosto e julho de 2017. Todos os principais serviços de telecomunicações apresentaram redução nos últimos 12 meses.

A maior redução foi na TV por assinatura, menos 10,3 mil reclamações contra prestadoras (-24,2%), seguida pela telefonia fixa, menos 15,8 mil (-21,7%), telefonia móvel, menos 27,3 mil (-18,8%), e banda larga fixa, menos 4,6 mil (-9,7%).

Das 118,2 mil reclamações contra prestadoras de telefonia móvel recebidas pela Anatel em agosto de 2018, 84,1 mil foram referentes à modalidade pós-paga do serviço e 34,1 mil à pré-paga. As principais causas de reclamações na pós-paga foram cobrança (47,2%), ofertas e promoções (10%) e qualidade e funcionamento (9,7%). Já na pré-paga, as reclamações que se referiram a créditos pré-pagos (39%) formaram o maior volume, seguido das de ofertas e promoções (19,4%) e de qualidade e funcionamento (13,6%). Em relação ao serviço de telefonia fixa, foram 57,2 mil reclamações causadas, principalmente, por problemas na cobrança (42%), na qualidade e no funcionamento (17,9%) e no cancelamento do serviço (10,1%).

No mês de agosto de 2018, a Anatel recebeu 43,2 mil reclamações contra prestadoras de banda larga fixa cujos principais motivos foram problemas na qualidade e no funcionamento (41,8%), na cobrança (26,2%) e no cancelamento do serviço (7,7%). E na TV por assinatura, as 32,1 mil reclamações foram motivadas por questões de cobrança (50,6%), de ofertas e promoções (9,6%) e de cancelamento (9%).

As cinco maiores reduções proporcionais ocorreram nos Estados de Rondônia, menos 251 reclamações (-32,4%), Mato Grosso, menos 702 (-30,6%), Tocantins, menos 158 (-30%), Pernambuco, menos 2,6 mil (-27,3%), e Rio de Janeiro, menos 13,6 mil, -27%.