Caso Garcez: um ano após desaparecimento, inquérito sobre delegado segue sem solução

Após desaparecer em tiroteio no Rio Solimões, Thyago Garcez segue desaparecido. Processo corre na Justiça Federal, que ainda analisa caso

Natacha Pinto / redacao@diariodoam.com.br

Passado um ano inteiro, o Delegado Thyago Pereira Garcez Bastos segue desaparecido e, o caso, sob análise da Justiça Federal. O delegado era titular da 78ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Codajás e estava cobrindo as férias do delegado da cidade de Coari, Mauro Duarte, quando desapareceu nas margens do Rio Solimões. A Secretaria de Segurança Pública coordenou uma operação de buscas por Garcez, porém o corpo do delegado nunca foi encontrado.

O delegado Thiago Garcez estava em Coari para cobrir férias do delegado Mauro Duarte. Foto: Reprodução

O caso aconteceu no dia 5 de dezembro de 2016, por volta das 19h, no Rio Solimões. Tudo aconteceu meio a um tiroteio com traficantes na cidade de Coari (363 quilômetros da capital). Conforme a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), cinco militares estavam envolvidos no tiroteio com o delegado, dois civis e três militares.

Ainda na naquela noite, o capitão Harison Queiroz da Polícia Militar de Coari, também estava junto com o Delegado, mas já tinha mandado um pedido de reforços para o Comando de Policiamento do Interior (CPI). O comandante da CPI, o coronel Pedro França, confirmou o tiroteio.

Uma equipe formada por policiais civis e militares da cidade de Coari e Tefé juntamente com a equipe do Grupo FERA, foram enviadas para o local do desaparecimento para que fossem feitas as buscas, mas sem sucesso.

Por meio de nota, a Polícia Civil comunicou que o processo corre na Justiça Federal.

“O processo acerca do desaparecimento do delegado Thyago Pereira Garcez Bastos está atualmente em análise pela Justiça Federal. Informamos ainda, que a esposa do delegado recebe uma pensão”.

 

 



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES