Decisão sobre novo dirigente do FMI será anunciada em 30 de junho

O conselho executivo do FMI já trabalha para escolher seu novo diretor-gerente e será revelado no dia 30 de junho.

Brasília – O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou em comunicado, na noite desta sexta-feira (20), que iniciou o processo de sucessão de seu diretor-gerente Dominique Strauss-Kahn. No cargo desde 2007, Strauss-Kahn renunciou após ser acusado de ter agredido sexualmente a camareira de um hotel, em Manhattan.

“É com prazer que anuncio que o conselho executivo do FMI adotou o processo que permite que a seleção do próximo diretor-gerente ocorra de maneira aberta, baseada em mérito e transparente”, diz o comunicado assinado pelo representante do conselho Shakour Shaalan.

Segundo o comunicado, a decisão sobre o novo diretor-gerente será anunciada em 30 de junho. “O candidato escolhido terá um histórico eminente em políticas econômicas em nível sênior”, diz o texto a respeito do processo seletivo.

A renúncia de Strauss-Kahn vem provocando especulação sobre quem será seu sucessor no comando do órgão em uma disputa que opõe países europeus a países emergentes. Os europeus desejam manter o controle do órgão num momento em que crises de dívida na zona do euro se tornaram a principal tarefa do FMI. Já os países emergentes exigem mais representatividade dentro do fundo.

Atualmente, a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, é apontada como a candidata favorita à direção. Caso seja selecionada, ela será a primeira mulher a ocupar o cargo.

O FMI está sob o comando interino do vice de Strauss-Kahn, o americano John Lipsky, e sofre pressão para encontrar rapidamente um sucessor, enquanto tenta estabilizar a ainda frágil economia global.

Decisão sobre novo dirigente do FMI será anunciada em 30 de junho

Atualmente, a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, é apontada como a candidata favorita à direção. Caso seja selecionada, ela será a primeira mulher a ocupar o cargo.

Brasília – O Fundo Monetário Internacional (FMI) anunciou em comunicado, na noite desta sexta-feira (20), que iniciou o processo de sucessão de seu diretor-gerente Dominique Strauss-Kahn. No cargo desde 2007, Strauss-Kahn renunciou após ser acusado de ter agredido sexualmente a camareira de um hotel, em Manhattan.

“É com prazer que anuncio que o Conselho Executivo do FMI adotou o processo que permite que a seleção do próximo diretor-gerente ocorra de maneira aberta, baseada em mérito e transparente”, diz o comunicado assinado pelo representante do conselho Shakour Shaalan.

Segundo o comunicado, a decisão sobre o novo diretor-gerente será anunciada em 30 de junho. “O candidato escolhido terá um histórico eminente em políticas econômicas em nível sênior”, diz o texto a respeito do processo seletivo.

A renúncia de Strauss-Kahn vem provocando especulação sobre quem será seu sucessor no comando do órgão em uma disputa que opõe países europeus a países emergentes. Os europeus desejam manter o controle do órgão num momento em que crises de dívida na zona do euro se tornaram a principal tarefa do FMI. Já os países emergentes exigem mais representatividade dentro do fundo.

Atualmente, a ministra francesa das Finanças, Christine Lagarde, é apontada como a candidata favorita à direção. Caso seja selecionada, ela será a primeira mulher a ocupar o cargo.

O FMI está sob o comando interino do vice de Strauss-Kahn, o americano John Lipsky, e sofre pressão para encontrar rapidamente um sucessor, enquanto tenta estabilizar a ainda frágil economia global.