Esgoto só alcança 4,2% dos domicílios amazonenses, diz pesquisa do IBGE

Pesquisa mostra que o Amazonas é 24º estado do país em número de casas atendidas por rede de esgoto. O levantamento também avaliou a oferta de água nos Estados.

Manaus – Pesquisa Nacional de Saneamento Básico 2008 (PSNB), divulgada nesta sexta-feira pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mostra que somente 4,2% dos domicílios do Amazonas eram atendidos por rede geral de esgoto, o que coloca o Estado na 24ª posição do ranking nacional.

De acordo com o levantamento, que também avalia a oferta de água encanada e destinação do lixo nos 5,6 mil municípios brasileiros, o Amazonas fica à frente apenas de Amapá (3,5%), Pará (1,7%) e Rondônia (1,6%) na oferta de rede de esgoto. No País, entre 2000 e 2008, o percentual de municípios que tinham rede geral de abastecimento de água em pelo menos um distrito aumentou de 97,9% para 99,4%. O manejo do lixo (que inclui coleta, destinação e limpeza pública) passou a existir em todos os municípios em 2008, enquanto os serviços de manejo de águas pluviais evoluíram de 78,6% para 94,5% dos municípios de 2000 a 2008.

Nesses oito anos, o Amazonas conseguiu ampliar de um para 11  o número de municípios com rede coletora de esgoto. Desses, só  três (4,8%) fazem algum tipo de tratamento. Nos municípios onde não há coleta de esgoto, em 21 as fossas sépticas são a forma de esgotamento sanitário, enquanto 17 usam fossas rudimentares. O número de valas a céu aberto caiu de 61 para dez, na pesquisa de 2000.

Água

A pesquisa do IBGE também aponta que no mesmo período o Estado conseguiu reduzir de 43 para 24 o número de municípios que oferecem água sem nenhum tipo de tratamento, em relação ao levantamento de 2000. Ainda assim, o Amazonas detém a segunda maior proporção da Região Norte  (38,7%) de cidades a receber água sem qualidade. Dos 62 municípios, 32 oferecem água totalmente tratada e 12 parcialmente.

De acordo com o levantamento, as prefeituras ainda respondem por metade do serviço de abastecimento de água (31), enquanto a outra metade é oferecida por outras entidades. Dos 62 municípios, 36 aprovaram instrumentos legais reguladores do serviço de abastecimento de água, mas em 41 não existe legislação municipal sobre proteção de mananciais.  Quanto ao manejo das águas pluviais (drenagem urbana), o serviço existe em 46 municípios. O Amazonas reduziu também o número de municípios com racionamento no fornecimento de água. Caiu de 58, em 2000, para 27, em 2008.

Lixo

Segundo o IBGE, os 62 municípios do Estado possuem o serviço de manejo do lixo, 57 executados pelas prefeituras e seis por empresas privadas, sem cobrança de tarifa em 61 deles. Em 21 cidades, a disposição do lixo é feita a menos de um quilômetro de aglomerações residenciais e em 15 com controle de acesso à instalação. As sedes de 59 municípios oferecem o serviço público de coleta de lixo,  a maioria diariamente.