Fio de média tensão decepa pé e mata mulher eletrocutada durante temporal em Manaus

Ela, o marido (o carreteiro Rômulo Alencar, 33) e uma criança de dois anos estavam no veículo.

Manaus – Criscilene Lima de Oliveira, 28, morreu eletrocutada na tarde desta terça-feira, 1º de janeiro, durante o temporal que atingiu Manaus. Ela saía da casa da sogra, na Rua I, no São José 3, na zona leste de Manaus, quando um fio de média tensão caiu no carro, modelo Fiat Palio prata de placa JXU-6217, em que ela estava com o marido, o carreteiro Rômulo Alencar, 33, e a filha, de dois anos.

Segundo Rafael Alencar, 22, irmão de Rômulo, durante o temporal, o irmão desceu do carro para chamar uma sobrinha. Quando voltou, o fio já estava em cima do veículo. “Ele (Rômulo) correu com um pedaço de madeira para tirar o fio de cima do carro porque estava dando curto-circuito, mas não conseguiu tirar tudo. Ele também pegou choque”, disse.

Ainda de acordo com Rafael, a criança estava no colo da mãe no banco do passageiro e foi a primeira a ser retirada pelo próprio pai, já desmaiada. Quando Criscilene tentou sair, o fio caiu novamente e decepou o pé esquerdo dela. “Eu tentei correr para ajudar, mas cheguei à porta, peguei choque e não consegui me mexer. Só me restou segurar o resto da família pra que a tragédia não fosse maior”, finalizou. Rafael disse, ainda, que essa não foi a primeira vez que o fio caiu.

Criscilene morreu na hora. A criança foi levada ao Pronto-Socorro da Criança Joãozinho, ainda na zona leste, e, segundo informações da guarnição da Polícia Militar (PM) no local, assim que chegou ao local foi levada ao centro cirúrgico e o estado de saúde dela é grave. Rômulo não chegou a ser levado ao Pronto-Socorro, mas estava em estado de choque. Testemunhas disseram que a menina estava queimada.

O sargento Lazáro Lúcio, da 9ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), informou o acidente aconteceu por volta das 15h30, no momento em que o temporal era mais forte. O Corpo de Bombeiros também esteve no local.

De acordo com técnicos da Eletrobras Amazonas Energia, o fio é de média tensão, revestido de alumínio, e era o condutor de energia da área. Ele apresentava imperfeições que, segundo os técnicos, foram causadas por linhas de ‘pipas’ com ‘cerol’. O cabo carregava tensão de 13,8 mil volts. A queda deixou marcas no asfalto e um dos pneus do carro acabou derretido.