Manifestantes em Manaus usam música da Legião Urbana e jingle da Fiat

Cerca de 15 mil pessoas foram à ALE. Melhorias no transporte público, maior transparência na política e respeito à classe LGBT são as reivindicações mais comuns.

Manaus – Milhares de manifestantes deixaram o Largo São Sebastião, no Centro, pacificamente e, com cartazes, partiram para a Assembleia Legislativa do Amazonas, no Parque Dez. Um grupo continuou no Largo e se uniu a outros manifestantes vindos do Parque dos Bilhares. Segundo a PM, pouco mais de 15 mil pessoas chegaram à ALE. Os manifestantes estimaram um número de 30 mil adeptos à causa.

Um carro de som chegou a tocar o jingle do comercial da Fiat “Vem pra rua porque a rua é a maior arquibancada do Brasil” e “Geração Coca-Cola”, música dos anos 80 da Legião Urbana. 

As reivindicações são distintas. Melhorias no transporte público, maior transparência na política e respeito à classe LGBT estão entre os pedidos mais comuns. 

Para o ambulante José de Araújo, 48 anos, o preço da tarifa de ônibus, que foi reduzido hoje, pode ser ainda menor. “Conseguimos 2,75, mas o ideal é 2,55. E temos que ter de volta a domingueira”. 

Grupo no Largo marca outro protesto

Parte da manifestação que começou no Largo continuou na praça. Segundo a PM, mil estão no Largo. Um palco chegou a ser montado no local, mas lideranças evitaram fazer discursos. Segundo um dos organizadores, Kléber Romão, os manifestantes vão sair pela Rua 10 de julho até a Praça da Saudade, ambas no Centro de Manaus. Os manifestantes não descartam seguir para outro lugar.

“Não é o momento de irmos para prefeitura ou para qualquer sede de governo. Não queremos violência, então realizaremos documentos oficiais para entregarmos na Aleam na segunda-feira”. O organizador informou que os governos municipal, estadual e federal serão notificados com o documento.

Um novo protesto foi marcado para o dia 1º de julho. A ideia é deixar a Praça da Matriz, no Centro, com destino a ALE para que lideranças sejam recebidas pelos deputados. 

Jean Batista, membro da União dos Movimentos Manaus, disse que “através desta manifestação, vamos formular um documento para Aleam. As principais reivindicações são o transporte, educação, saúde e os gastos com a Copa, que devem ser transparentes”.

Já a aposentada Eunice Mendes estava na casa dela distribuindo cartazes que ela própria fez. “As pessoas estão indo para as ruas em uma passeata com um sentido vago. Os jovens formados tem ganhado um subsalário e pessoas apenas com o secundário ganhando muito dinheiro. Eles tem que lutar por isso”.

Ocorrência

De acordo com a PM, apenas um adolescente foi apreendido durante a manifestação até as 19h20. Segundo o chefe da assessoria da Polícia Militar, o tenente-coronel Peter Schmidt, o jovem “estava em atitude suspeita” e, com ele, foi encontrada uma faca.

Tumulto

Um carro de som tocando funk provocou um tumulto durante a manifestação em frente à Assembleia Legislativa do Amazonas, no Parque Dez, em Manaus. Manifestantes lançaram pedaços de madeira e garrafas no carro. Policiais tentaram proteger o veículo e também foram atingidos. Durante o tumulto, catolés, pilhas e latas foram lançadas à sede da ALE.

Antes do tumulto, manifestantes cantaram o hino nacional e colaram cartazes com reivindicações na grade. Após a confusão, os manifestantes começaram a dispersar e apenas um pequeno grupo continuou no local ameaçando fazer vandalismo no prédio público.