Militar é preso com mercadorias furtadas de empresa de eletrônicos e munições

Raimundo Alves Feitoza, 65, militar reformado, foi preso em flagrante em posse de 23 televisores, oito aparelhos de ar condicionado, 20 munições de calibre 38 e um arma do tipo sinalizadora de uso restrito das Forças Armadas.

Girlene Medeiros/redaçcao@diarioam.com.br

O militar da Marinha reformado Raimundo Alves Feitoza, 65, foi preso, em flagrante, na madrugada desta quinta-feira (7), com mercadorias furtadas, há duas semanas, de uma empresa de eletrônicos, localizada no bairro Distrito Industrial, na zona sul de Manaus.

Ele foi preso na casa onde morava, no Beco do Macedo, localizado à Rua Brasil, bairro Nossa Senhora das Graças, zona centro-sul de Manaus, segundo informou o delegado Jeff David Mac Donald, titular do 6º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Militar é preso com posso de eletrodomésticos e munições de uso militar

Segundo o delegado, foram apreendidos, com o militar reformado, 23 televisores, oito aparelhos de ar condicionado, 20 munições de calibre 38 e um arma do tipo sinalizadora de uso restrito das Forças Armadas. Os objetos estavam na garagem do militar, segundo o titular do 6º DIP. Também foram apreendidos, com Raimundo, segundo Mac Donald, 60 gramas de ouro bruto e 250 gramas de ouro especificado sem licença de porte do metal.

De acordo com o delegado, parte dos objetos encontrados foram furtados , há duas semanas, de uma empresa de eletrônicos. Os televisores fazem parte de uma carga de tevês que foi transportada para Rio de Janeiro (RJ). Segundo o delegado, a equipe de investigação do 6º DIP recebeu denúncia de representantes da empresa de monitoramento da carga que tem sede em São Paulo.

“No local, a empresa percebeu que estava faltando, pelo menos, 200 televisores e a empresa de monitoramento nos acionou”, disse o delegado titular do 6º DIP, acrescentando que a suspeita da equipe da delegacia é que os aparelhos de ar condicionado pertençam a outra empresa que também pode ter sido furtada.

De acordo com Jeff, a empresa de monitoramento enviou um técnico que chegou meia-noite no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes, na zona oeste.

Na delegacia, segundo Jeff, o militar disse que compra produtos para revender. À imprensa, o militar disse que iria receber as notas fiscais dos produtos. “Ficaram de me dar, mas não me deram”, disse Raimundo, acrescentando que estava há, pelo menos, 15 anos como militar da Marinha reformado.

Os objetos apreendidos serão levados à perícia. O militar reformado vai responder por receptação qualificada, porte de arma de fogo de uso restrito e crime contra a ordem econômica. Ele será levado para audiência de custodia e, caso o juiz de Direito entenda que ele deve permanecer detido, o militar será levado para a base da Marinha.



SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES