Número de faltas equivale a dois meses e 22 dias na ALE

Assembleia tem, em média, 12 sessões por mês e já registrou 82 ausências em três meses.

Manaus – Em 38 sessões ordinárias na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), os deputados  registraram 82 faltas justificadas. O número corresponde a dois meses e 22 dias.

Dos 24 deputados estaduais, 21 tiveram pelo menos uma falta registrada. Os mais faltosos foram: Vera Lúcia Castelo Branco (PTB), com nove faltas; Sinésio Campos (PT), com oito; Francisco Souza (PSC) e Wanderley Dallas (PMDB), com sete; Cabo Maciel (PR), com seis; Arthur Bisneto (PSDB) e Belarmino Lins (PMDB), com cinco; Adjuto Afonso (PP) e Tony Medeiros (PSL), com quatro e Ricardo Nicolau (PRP), com  três. Em média, são realizadas na ALE doze sessões ordinárias ao mês.

Vera Lúcia usou a justificativa de ausência por estar em missão política seis vezes, porém em nenhuma delas informou do que se tratavam as missões em questão. Outras duas faltas foram justificadas com viagens internacionais, uma para participar do encontro da União de Parlamentares Sul-Americanos e do Mercosul (UPM), em Montividéu no Uruguai, e outra por motivos de saúde.

Sinésio Campos, o segundo mais faltoso, esteve ausente de oito sessões da ALE. Foram cinco viagens a Brasília, duas a Santarém no Pará e uma à Comunidade de Santo Antônio do Matupí, no interior do Amazonas. Em nenhuma das situações Sinésio informou o objetivo das visitas.    

O terceiro colocado, com maior número de ausências é Francisco Souza, que faltou a sessões ordinárias por sete vezes, justificando três ausências por conta de missões políticas e partidárias em Brasília, viagens à Montevidéu para participar da UPM e a Porto Alegre para a Assembleia Extraordinária da União de Parlamentares do Mercosul. Wanderley Dallas divide com Francisco Souza o terceiro lugar em ausências. Foram cinco por conta de missões políticas, uma por questões médicas e outra por motivo de viagem.

Justificativas

Entre as justificativas apresentadas com maior frequência, as viagens a municípios do interior do Estado, a outras cidades do País e viagens internacionais a serviço da ALE, aparecem 27 vezes. As faltas decorrentes de missões políticas surgem em segundo lugar, são 19 ao todo. Logo em seguida estão as ausências por missões partidárias e viagens sem determinar os locais e finalidade, oito vezes. Em nenhum dos casos os parlamentares são obrigados a explicar qual o objetivo da viagem. As faltas justificadas com ‘motivos médicos’ foram sete, mesmo número de ausências por ‘compromissos políticos’.

O mês com maior número de faltas foi março, quando em 12 dias os deputados estiveram ausentes 33 vezes. No mês de abril o número também foi elevado, em dez dias de trabalho, foram 25 faltas. No primeiro mês de atividades parlamentares, fevereiro, as ausências são 15 em 13 dias de trabalhos.

Vereadores registraram 28 faltas em dois meses

No site da Câmara Municipal de Manaus (CMM), estão disponíveis apenas as frequências dos vereadores referentes aos meses de fevereiro e março de 2011. De acordo com a Diretoria de Comunicação da CMM, os dados da frequência são publicados até o dia 10 de cada mês e as informações referentes ao mês de abril devem estar disponíveis no site da Casa (www.cmm.am.gov.br) ainda hoje, informou a Secretaria de Apoio Parlamentar, responsável pelas atualizações.

Em dois meses, foram 28 faltas em 21 sessões. Dos 38 vereadores, metade esteve ausente das sessões da CMM por pelo menos uma vez nos dois primeiros meses do ano. O ‘motivo de força maior’ lidera entre as justificativas mais usadas, foram 19 vezes. As faltas justificadas por atestados médicos foram 11, cinco delas apresentadas pela vereadora Lúcia Antony (PCdoB), em fevereiro, que lidera no número de ausências.

Wilton Lira (PCdoB), Dr. Denis (PTB), Leonel Feitoza e Nelson Amazonas (PMDB), aparecem logo em seguida com duas faltas cada.  As faltas para representar a Câmara em missões oficiais foram quatro.