Protestos e promessas marcam chegada de Amazonino Mendes ao PDT

Em um discurso inflamado e bastante aplaudido pelos correligionários, Amazonino ressaltou que sua entrada tem o objetivo de agigantar o partido.

Manaus – O prefeito Amazonino Mendes anunciou, no final da manhã de hoje, seu ingresso oficial no Partido Democrático Trabalhista (PDT). O anúncio aconteceu durante o encontro de Orientação Partidária da sigla, que acontece em um salão do Da Vinci Hotel, na rua Belo Horizonte, Adrianópolis, zona centro-sul. Segundo o vice-presidente regional do PDT, Dermílson Chagas, o prefeito assinou sua ficha de filiação ontem à noite.

Amazonino chegou acompanhado de um grupo de secretários municipais e dos vereadores Luiz Alberto Carijó, Wilton Lira e Dr. Dênis, todos do PTB, e Homero de Miranda Leão e Wilker Barreto, ambos do PHS.

Em um discurso inflamado e bastante aplaudido pelos correligionários, Amazonino ressaltou que sua entrada tem o objetivo de “agigantar” o partido. “Vim para que o partido cresça. Chegou o momento do PDT se agigantar. Vem aí o PDT novo, corajoso, solidário e determinado”. O prefeito ainda fez críticas indiretas ao vereador Mário Frota (PDT), um de seus principais desafetos políticos.

“Eu tenho história, meus amigos. Não me inventei socialista, não me inventei esquerdista, como muitos nanicos que não tem nada para mostrar, nem como pessoas e nem como políticos”.

O prefeito afirmou ainda que o partido estava “na mão de poucos, como um feudo”. “Isso até se admite de pequenos partidos, mas não de um partido com a história do PDT”, ressaltou.

Amazonino rebateu as críticas de um grupo de partidários, que ainda resiste à entrada dele na legenda. “Minha decisão foi madura e pensada, não foi uma coisa de indigente político. Eu me condenaria se tivesse unanimidade. Unanimidade é para os dóceis, que não têm personalidade. A unanimidade fica para os incompetentes, para os niilistas e incapazes. Não há unanimidade para quem tem espírito revolucionário. Não me constrange o reverso”, afirmou, em meio a aplausos.

Protesto

Antes da chegada de Amazonino, um grupo de pedetistas realizou um protesto em frente ao hotel. Com uma faixa escrita “O PDT não é lugar para corrupto”, os manifestantes afirmavam que o prefeito não era bem vindo ao mesmo partido que abrigou Leonel Brizola e Jeferson Péres.

O vereador Mário Frota (PDT) esteve rapidamente no encontro e não aguardou a chegada de Amazonino. “Um partido sério, honrado e até o momento, não manchado pela mácula da corrupção. Isto é uma coisa muito importante para mim. Jeferson Péres deve estar estremecendo, assim como Brizola, em seus caixões”.

Frota, que já havia anunciado sua saída do PDT caso Amazonino ingressasse, afirmou que recebeu convites de filiação a outros partidos, como PSDB e PPS, mas ainda não decidiu para onde vai.

Bancada

O vereador Luiz Alberto Carijó disse que a tendência é que o grupo de parlamentares presentes no encontro, juntamente com a vereadora Marise Mendes (PTB), acompanhe o prefeito na legenda.

Caso os vereadores ingressem no PDT, o partido terá a maior bancada na Câmara Municipal de Manaus (CMM). Hoje, a maior bancada é a do PTB, com seis parlamentares.

Gilmar Nascimento, que está sem partido, também participou do seminário e disse estar conversando com os dirigentes para acertar sua entrada na legenda.