Seguranças agridem deficiente durante palestra de Benny Hinn

A PM levou os três suspeitos para o 3º DIP, mas houve um acordo com a vítima e nenhuma ocorrência foi registrada.

Manaus – Joshua Benjamin Hinn, e os seguranças Caleb Andrew Shirk e Konstantins Konstantinovs foram detidos por policiais militares da Força Tática, suspeitos de torturarem o deficiente auditivo Hestepheson Marques Araujo, na noite de sábado, durante uma palestra do missionário Benny Hinn, realizada na arena Povos da Amazônia, na zona sul da capital.

Segundo informações de policiais militares, Hestepheson estava sentado em uma cadeira na primeira fileira, quando levantou para  tentar chegar perto do pastor Benny Hinn, que ministrava a palestra.  

Como ele estava segurando uma garrafa de água, Joshuan, que é filho do pastor, e os dois seguranças, deduziram que ele iria jogar água no missionário e imediatamente o tiraram do local e o levaram para um trailler.

A plateia percebeu a confusão e acionou a PM, que prenderam em flagrante os três suspeitos. Hestepheson deixou o local em uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Os suspeitos foram encaminhados para o 3ª Distrito Integrado de Polícia (DIP), em Petrópolis, zona sul. De acordo com um dos policiais, na delegacia, os três homens afirmaram que não sabiam que a vítima era deficiente, e estavam apenas exigindo que ele se apresentasse.

Ainda segundo os policiais, o pai da vítima, uma tradutora de sinais, e os  advogados de ambas partes entraram em um acordo para Hestepheson não registrar o boletim de ocorrência.  

A assessoria de comunicação da Polícia Civil confirmou que a vítima agredida foi levada pela PM, junto com os três suspeitos, e ao chegar na delegacia, desistiu de dar procedimento no caso e nada foi formalizado.