Escola reúne foliões veteranos e novatos durante desfile

Micaela Santarém, 19, se vestiu de um dos insetos que ela menos gosta: barata. Tudo por amor a agremiação Vila da Barra, do bairro Compénsa

Girlene Medeiros / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Em nome do Carnaval, Micaela Santarém, 19, se vestiu de um dos insetos que ela menos gosta: barata, o grito de horror na Terra. A ala que ela integra faz parte da Escola de Samba Vila da Barra que aborda o grito na sociedade em diferentes contextos. A agremiação foi a última do Grupo Especial a desfilar no Centro de Convenções – Sambódromo, na zona oeste de Manaus, na madrugada deste domingo (11).

Micaela Santarém, 19, se vestiu de barata, um dos insetos que menos ela gosta, por amor a Vila da Barra (Foto: Divulgação/Girlene Medeiros)

Questionada em como se sentiu “sendo uma barata”, ela lembrou que não suporta o inseto. “Não gosto, mas tive que enfrentar o medo pela escola de samba”, disse Micaela que desfila pela segunda vez pela Vila da Barra.

Amante do Carnaval, a relações públicas Leda Maria Magnani, 50, também desfilou pela Vila da Barra que foi a décima escola de samba da noite que ela desfilou entre a noite de sábado (10) e domingo (11). “Adoro essa energia de todo mundo ser igual, como é no Carnaval. Nas alas, há juízes e lavadores de carros se divertindo junto”, disse a foliã.

Outro folião que aguentou firme na madrugada foi Sávio Costa Sales, 21, que atua na área de Comércio Exterior. Diferentemente de Leda, o jovem desfilou no Carnaval, pela primeira vez, este ano, a convite da namorada.  “A família da minha namorada me chamou e, quando vi, já estava com a fantasia”, brincou Sales.