Escolas de samba a postos para os desfiles

Escolas de samba do Grupo Especial falam sobre seus enredos e expectativas para a folia momesca agendado para ocorrer no dia 2 de março, nas dependências do Sambódromo

Gabriel Machado / plus@diarioam.com.br

Manaus – Com o fim das festividades de fim de ano, as atenções dos manauaras se voltam, agora, para um dos períodos de maior agitação da capital amazonense: o carnaval. Agendado para acontecer no dia 2 de março, nas dependências do Sambódromo (Avenida Pedro Teixeira), o desfile das escolas de samba de Manaus do Grupo Especial reunirá as oito principais agremiações da cidade, que descerão a avenida em busca do título de campeã deste ano.

A Reino Unido busca o bicampeonato, neste ano (Foto: Sandro Pereira/RDC)

A seguir, estão listados — na ordem em que cada escola invadirá o Centro de Convenções — os temas selecionados para o carnaval de 2019. Confira:

1. Primos da Ilha: Vencedora do Grupo de Acesso A, no ano passado, a escola de samba Primos da Ilha será a primeira a desfilar, a partir das 20h. Com o samba-enredo ‘Não queremos aceitação, queremos respeito. Se quer falar de cura, cure seu preconceito’, a agremiação promete levantar, em pleno Sambódromo, a bandeira da luta contra a discriminação e a intolerância.

“O público pode esperar uma declaração de amor à diversidade, à igualdade, ao amor e, principalmente, à paz e à união”, disse o diretor de carnaval da Primos da Ilha, Werly Stennyson Silva de Medeiros. “A nossa comissão de frente será o nosso carro-chefe, mostrando que podemos viver, sim, em paz e com respeito à diferença, que é tão característica do nosso povo”, completou.

2. Andanças de Ciganos: Logo depois, às 21h20, a Andanças de Ciganos apresentará o tema ‘O sonho de ser um milionário’. Para compor este tema, o presidente da escola, Vilson Benayon, juntamente com uma equipe especial, elaborou uma pesquisa que analisa os pontos positivos e negativos dos ‘ricaços’ e onde muitos deles cometeram deslizes — além de explorar, também, a ambição pelo poder do dinheiro, dentre outros pontos.

“O enredo conta a história de muitos personagens que ficaram marcados”, afirmou Vilson. “Ressaltamos, ainda, que existe a chave para o sucesso, destacando os caminhos para se tornar um vencedor e, assim, fazer com que o público acredite nos seus sonhos e nunca desista de realizá-los”, reforçou.

3. Vitória Régia: A partir das 22h40, será a vez da tradicional Vitória Régia desfilar pela avenida. Sob o tema ‘Tinta nas veias, a verdade nas mãos: na crítica de Calderaro, ‘70 anos’, a voz de uma nação’, a escola de samba revisitará a trajetória do grupo de comunicação do Amazonas.

“Para apresentarmos o enredo, recorremos à lenda da vitória-régia, que conta a origem de uma das maiores plantas aquáticas do mundo. No folclore brasileiro, ela é personificada em Naiá, uma bela índia que deseja se transformar em uma estrela, mas que acaba virando uma flor. Ela será a narradora da nossa história, que contará a trajetória do jornalista Umberto Calderaro Filho”, explicou o presidente da agremiação, Didi Redman.

4. Vila da Barra: Na virada do dia, à meia-noite, a Vila da Barra dará início ao seu desfile, no Centro de Convenções. Neste ano, a escola elaborou o samba ‘Sorte’ — composto pelos músicos Roney Cruz, Paulino Braga, Sandro Romero, Carliomar Brandão, Malan Nascimento, Allan Bayma, Serginho do Cavaco, Bambi do Samba, Rubinho Duribeiro, Jorge Cadela e Rodrigo Fróes.

“Como não poderia ser diferente, o público pode esperar um desfile recheado de alegria. Este será o ingrediente de todas as alas da Vila da Barra”, adiantou o presidente Apollo Ferreira. A associação lançou, oficialmente, o seu enredo com um megaevento, ontem, em sua quadra.

5. Reino Unido: Já no domingo, 3, a partir de 1h20, a Reino Unido da Liberdade, atual campeã do Carnaval de Manaus, tentará o bicampeonato com o samba ‘Tambores, crenças e costumes afro-brasileiros: A benção Mãe Zulmira’, que celebra a primeira vez em que a escola de samba foi campeã, há 30 anos.

Munida de 28 alas, três carros alegóricos, um módulo para comissão de frente e vários tripés — somando 4.200 componentes —, a agremiação garante que levantará os foliões. “Destas (alas), temos duas que vão ser destaques, na minha opinião. A primeira é a das crianças, que contará com 200 integrantes e três tipos de fantasia: do branco, do negro e do índio. A segunda é a ala de libras, que tem o objetivo de promover a inclusão social”, opinou o presidente da Reino Unido, Reginei Rodrigues.

6. Unidos da Alvorada: Às 2h40, a Unidos da Alvorada tomará as rédeas do desfile com o samba-enredo ‘All-in-Copag para ver. Na passarela do samba, a Alvorada dá as cartas’. A faixa é uma homenagem à empresa Copag, instalada há 25 anos na Zona Franca de Manaus e que tem como produto principal o baralho — fornecendo-o, inclusive, para os principais cassinos de Las Vegas, nos Estados Unidos.

“Neste ano, a escola vem rica de cores e luzes, apostando todas as ‘cartas’ na passarela do samba. (…) A ala 139 chega com maior destaque, brindando o baralho mais vendido do portfólio da Copag”, disse o presidente da associação, Joacy Castelo, o Jacaré.

7. A Grande Família: Com o samba ‘Eu só quero é ser feliz!’, a Grande Família é a penúltima escola a se apresentar pelo Desfile do Grupo Especial, a partir das 4h de domingo. A agremiação explorará a trajetória do empresário amazonense Murilo Rayol — estampando as singularidades que o fazem um dos ‘personagens’ mais alegres e descontraídos de Manaus.

“Este samba foi gravado no Rio de Janeiro, por Neguinho da Beija-Flor, e conta com a participação de Paulinho Mocidade, Ciganerey da Mangueira, Ito Melodia e Quinho (ex-Salgueiro), entre outros artistas”, frisou o vice-presidente Leonardo Fierro. “Como são muitas curiosidades a respeito do nosso homenageado, tenha certeza que o público ficará encantado com o nosso desfile”.

8. Mocidade Independente de Aparecida: Por fim, às 5h20, a Aparecida encerrará a disputa entre as escolas de samba da capital amazonense. Dona de 22 troféus de campeã do carnaval, a associação aposta no enredo ‘Égua maninho! Espia só! Tem açaí, tem tucupi, tem maniçoba, tem carimbó, sairé e siriá. Tem boto, tem Iara, tem marajó… Encantaria de arrepiar… Tem ver-o-peso, rio e mar. Tem a Nazinha a abençoar… Aparecida vem mostrar que tam bém tem Pará’.

A agremiação espera transformar o Sambódromo em um verdadeiro tributo ao Pará, com versos ‘para cima’, alegres e festivos, destrinchando as principais particularidades do Estado.