Mais de 500 pessoas vítimas de acidentes e violência foram atendidas em dois dias de Carnaval, em Manaus

Os atendimentos são referentes a pacientes lesionados em ocorrências de ferimento por arma branca, arma de fogo, acidente de trânsito (moto e carro), atropelamento, agressão, queda e queimadura

Da Redação / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Um total de 599 pessoas foram atendidas nesta sexta-feira (9) e sábado (10) de Carnaval nas unidades de urgência e emergência, em Manaus. A informação é da Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Os atendimentos são referentes a pacientes lesionados em ocorrências de ferimento por arma branca, arma de fogo, acidente de trânsito (moto e carro), atropelamento, agressão, queda e queimadura.

Um total de 599 pessoas foram atendidas nesta sexta-feira (9) e sábado (10) de Carnaval nas unidades de urgência e emergência. (Foto: Reinaldo Okita)

As ocorrências relacionadas a quedas lideram. Do total de 314 atendimentos da sexta, 188 eram deste tipo de caso. No sábado, foram mais de 150 pacientes. Os acidentes envolvendo moto ou carro foram o segundo maior motivo de procura por atendimento nos prontos-socorros, unidades e serviços de pronto-atendimento da capital: 152 vítimas.

Com relação a feridos por arma de fogo, na sexta-feira, foram dez casos, e no sábado esse número caiu para três. Com destaque para o Hospital e Pronto-Socorro da Zona Norte, que não registrou nenhum caso de vítima de arma de fogo ou arma branca. O Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na zona centro-sul, também não atendeu feridos por faca ou tiro no sábado.

Leitos

A Susam também informa que os leitos de retaguarda abertos pela secretaria em Manaus para dar apoio aos prontos-socorros receberam 49 pacientes entre a sexta e o sábado de Carnaval. Foram 28 transferências no dia 9 e mais 21 no dia 10.

Sambódromo

A equipe da Susam que trabalhou nos dois dias de desfiles das escolas de samba de Manaus, no sambódromo, realizou 30 atendimentos. Em oito deles, foi preciso remover as vítimas para prontos-socorros ou SPA. Nenhum dos casos foi de gravidade.