Cineasta Tony Scott, de Top Gun, comete suicídio nos EUA

O corpo do diretor, irmão do também cineasta Ridley Scott, foi retirado da água perto da Ponte Vincent Thomas, ao sul de Los Angeles.

Los Angeles – O cineasta e produtor britânico Tony Scott, que dirigiu filmes como “Top Gun – Ases Indomáveis”, cometeu suicídio no domingo aos 68 anos ao se jogar de uma ponte de San Pedro, Califórnia, informou o Instituto Médico Legal de Los Angeles.

O corpo do diretor, irmão do também cineasta Ridley Scott, foi retirado da água perto da Ponte Vincent Thomas, ao sul de Los Angeles, e um bilhete escrito com sua letra que indicava as intenções suicidas foi encontrado no carro, estacionado na ponte.

Uma testemunha afirmou à polícia que viu um homem se jogando da ponte às 12H30 locais (16H30 de Brasília), informou o tenente Jospeh Bale, do Instituto Médico Legal de Los Angeles. O corpo foi identificado como o de Tony Scott.

“Confirmo que Tony Scott morreu”, afirmou Katherine Rowe, porta-voz do cineasta.

A polícia informou que Scott havia estacionado o carro, um Toyota Prius negro, na ponte, antes de superar a barreira de proteção e se jogar no Oceano Pacífico.

Um grupo de mergulhadores procurou o corpo no estreito de San Pedro e o cadáver foi encontrado às 15H00 (19H00 de Brasília), segundo Bale.

Scott, nascido na Grã-Bretanha em 1944, obteve sucesso nos anos 1980 ao dirigir “Top Gun”, um filme de ação sobre o corpo de elite da Marinha, estrelado por Tom Cruise.

O filme, de 1986, arrecadou 176 milhões de dólares e estabeleceu as carreiras Scott e Cruise.

Além de “Top Gun”, Scott dirigiu “Inimigo do Estado”, “Um Tira da Pesada II”, “Jogo de Espiões”, “Incontrolável” e “Maré Vermelha”, um de seus muito filmes protagonizada por Denzel Washington.