Um suspense nada silencioso

‘Um Lugar Silencioso’ é o grande filme de suspense e terror que os fãs aguardavam, desde ‘A Bruxa’. Na trama, uma família é assombrada por uma força sobrenatural atraída pelo som

Gabriel Machado / plus@diarioam.com.br

Manaus – A parceria entre marido e mulher já aconteceu inúmeras vezes no cinema, com resultados, muitas vezes, para lá de desastrosos — vide ‘Destino Insólito’ (2002), com os então casados Madonna e Guy Ritchie. Agora, foi a vez dos atores Emily Blunt e John Krasinski passarem pela ‘prova dos nove’ com o aguardado ‘Um Lugar Silencioso’, destaque nas salas de cinema manauaras. E, se a rainha do pop viu seu casamento desmoronar após o fiasco de sua colaboração com o ex-marido, é seguro dizer que, caso dependam da performance do suspense, Blunt e Krasinski podem respirar aliviados.

Em ‘Um Lugar Silencioso’, também dirigido pelo seu protagonista, uma família do meio-oeste dos Estados Unidos é perseguida por uma entidade sobrenatural atraída pela percepção do som. Por conta disso, o clã, formado pelos cônjuges e por Millicent Simmonds e Noah Jupe, deve permanecer em absoluto silêncio..

Não que diálogos sejam, em sua maioria, responsáveis pelo sucesso de filmes deste gênero, mas abrir mão de uma das ferramentas mais importantes para um longa-metragem é um movimento ousado. Neste caso, o ambicioso roteiro de Bryan Woods, Scott Beck e do próprio Krasinski pagou o risco. O silêncio se torna quase que um personagem e a produção acaba se utilizando dele para dialogar com o público. Munido de pouquíssimas falas, ‘Um Lugar Silencioso’ consegue transmitir as mais variadas sensações de medo e terror.

Além da firme direção de John Krasinski, outro fator que justifica o êxito do filme está na sintonia do elenco — novamente, pontos para o diretor/ator. Emily Blunt está fenomenal no papel da matriarca da família, que precisa proteger os dois filhos enquanto espera para dar à luz um terceiro. A cena que ilustra o pôster nacional do longa, na qual a personagem se encontra em trabalho de parto, em uma banheira, é de desesperar até mesmo o mais ‘durão’ dos espectadores. Dificilmente a atriz não figurará nas listas da próxima temporada de premiações.

A talentosa Millicent Simmonds, de apenas 15 anos, é outro show à parte. Por conta de sua condição (a jovem é surda, na vida real), a atriz traz uma carga absurda de veracidade a sua personagem, Regan. Será interessante acompanhar seus próximos passos, depois do sucesso que o suspense — certamente — fará.

Com Krasinski e Blunt em suas melhores formas, a grata surpresa Simmonds e uma trama que prende do primeiro ao último minuto, é certo afirmar que ‘Um Lugar Silencioso’ é o grande filme que os fãs do gênero aguardavam, desde ‘A Bruxa’ (2015).