Comunidade Portuguesa do Amazonas comemora Dia de Portugal neste sábado

O evento é realizado anualmente pelo Conselho da Comunidade Portuguesa e Luso Brasileira do Amazonas.

Manaus – Neste sábado (8), a comunidade portuguesa do Amazonas, uma das maiores do País, vai se reunir no evento que marca o Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas, às 20h, no salão Nobre do Luso Esporte Clube, em Manaus. Ao todo, são 4,2 mil pessoas, entre portugueses e descendentes naturalizados.

O evento é realizado anualmente pelo Conselho da Comunidade Portuguesa e Luso Brasileira do Amazonas em comemoração ao dia 10 de junho, data considerada feriado nacional em Portugal e tem como objetivo principal exaltar a nação portuguesa, seu maior poeta, Luís Vaz de Camões, e as comunidades lusitanas espalhadas pelo mundo.

Segundo o presidente do Conselho da Comunidade Portuguesa e Luso Brasileira do Amazonas, Antônio Umberto Figueiredo, a comunidade portuguesa do Amazonas é uma das mais participativas, tendo, inclusive, dado uma das maiores votações fora de Portugal para o atual presidente daquele País, Aníbal António Cavaco Silva, reeleito em 2011. 

Ele destaca que o dia de Portugal é como se fosse o feriado de Tiradentes no Brasil. “Portugal tem apenas 10 milhões de habitantes e mais de 6 milhões espalhados pelo mundo. É uma data para lembrarmos nossas raízes e nossa cultura, mesmo estando longe”, disse.

A vereadora Therezinha Ruiz será a oradora de honra da solenidade . Ela é naturalizada portuguesa tendo as raízes lusitanas nos avós maternos, que casaram em Manaus em um cartório do Consulado Português, no início do século passado. “Vou fazer uma breve palestra sobre a influência da comunidade portuguesa em Manaus e no Amazonas. Muitas coisas que são até desconhecidas pela maioria a população são fruto dessa influência”, disse.

Herança

O pé direito alto, nas construções das casas, principalmente no entorno do Teatro Amazonas, Centro, é uma das heranças deixadas pelo irmãos lusitanos ao Amazonas. Além do idioma, que é a herança mais evidente, tem a gastronomia que se fixou em diversos estabelecimentos na área central da cidade entre padarias, mercearias e bares.

O mais famoso representante, inclusive homenageado todos os anos durante o Carnaval, é Armando Dias, dono do Bar do Armando, já falecido. A Casa Lisboa, na Rua dos Barés, tradicional vendedora de bacalhau, e o empório Santa Fé, na Avenida Constantino Nery, são outros representantes dessa cultura no Amazonas. 

No esporte, o mais recente expoente dessa parceria além-mar é a presença do técnico de futebol Paulo Morgado, nascido em Lisboa, que já comandou os times do Rio Negro e Fast Clube. A última contribuição portuguesa foi a cobertura da Arena Amazônia. As estruturas metálicas chegaram do país lusitano no mês passado, prova de que o intercâmbio continua forte. 

Homenageados

Durante a solenidade, o Cônsul de Portugal no Amazonas, o empresário José dos Santos Azevedo, será homenageado pela contribuição exercida ao longo dos anos para a comunidade portuguesa.  Além dele, também serão condecorados o diretor do Hospital Beneficente Portuguesa, Lúcio Flávio da Silva, e Suzete Lopes de Alencar, funcionária do hospital há 42 anos. 

Curiosidades

A imigração portuguesa para Amazônia foi incentivada pelos governantes locais que viam nela a possibilidade de formar um rosto “mais europeu” na sociedade local. Outra peculiaridade da imigração portuguesa para Amazônia é o tamanho: em 1920 ela representava 13% da população das cidades de Manaus e Belém.

A obra de benemerência da comunidade portuguesa em Manaus é outro ponto de destaque da herança que os imigrantes deixaram na cidade. São exemplos maiores disso a Sociedade Beneficente Portuguesa e a Santa Casa de Misericórdia que, apesar de não serem instituições administradas diretamente pela comunidade portuguesa, receberam consideráveis ajudas financeiras dos imigrantes portugueses residentes de Manaus.