A simplicidade da beleza por Cecy Procópio

A hair stylist amazonense lança, hoje, na Saraiva MegaStore, ‘Pessoas’, livro que mostra em quase 90 páginas cortes de 1999 até 2015

Bruno Mazieri/redacao@diarioam.com.br

Cecy Procópio durante lançamento em São Paulo (Foto: Divulgação)

Manaus – Conhecida pelos cortes arrojados que embelezam ainda mais a mulher amazonense, a hair stylist amazonense Cecy Procópio lança, hoje, às 19h, na Saraiva MegaStore (Manauara Shopping), o livro ‘Pessoas’, que reúne cortes da artista — sim, ela é uma artista — desde 1998 até meados de 2015. Além das imagens, os leitores poderão contemplar versos interessantes sobre autoestima, por exemplo.

“Era um desejo antigo. A minha formação foi em visagismo, palavra muito falada nos anos 1980. Na academia, aprendia-se que a padronagem deve ser evitada, pois precisamos mostrar a essência de cada pessoa. Então, quando voltei de Londres, em 1987, passei a guardar o antes e o depois de inúmeras clientes. O resultado está em ‘Pessoas’, que reúne fotos de 1998 até 2015”, comenta Cecy Procópio.

A hair stylist acredita que este é o primeiro livro do gênero produzido por um amazonense. “Fico muito feliz com isso. Tenho orgulho de ser amazonense e tenho a missão de fazer com que a mulher amazonense valorize a beleza dela. Fiz pesquisas, durante anos, e acho que ela quer uma beleza que esconde a dela. Apesar dos cabelos lisos, eles são volumosos, e ela não valoriza. Com o livro, tento mostrar vários tipos de pessoas, de raças e de como a beleza é algo simples”, comenta.

‘Pessoas’, que já foi lançado no Rio de Janeiro e em São Paulo, teve um feedback bastante positivo. Tanto, que foi elogiado por Robson Trindade, um dos profissionais mais respeitados em todo o País, em termos de visagismo. “Depois da Livraria Cultura, do Conjunto Nacional e da Livraria Argumento, lancei o livro no Hair Brasil e foi um sucesso, pois estava em casa e cercada por profissionais grandiosos”, lembra.

Em 2018, Cecy completa 50 anos de carreira e revela que está em um “momento muito feliz e muito mais bonita”. “Ainda tenho um arquivo muito vasto de imagens. Foi difícil escolher pouco mais de 60 imagens para esta obra, quem sabe não sai um ‘Pessoas 2’?”, finaliza.