Olhar do Norte anuncia 38 curtas-metragens

Organizado pela Artrupe Produções, evento terá 38 produções divididas entre quatro mostras, de 25 a 29 deste mês, no Centro da cidade

Lennon Jorge / redacao@diarioam.com.br

Manaus – Marcado para o período de 25 a 29 de janeiro, no Les Artistes Café Teatro e no Teatro da Instalação, o Festival Olhar do Norte divulgou, ontem, as 38 produções selecionadas para as suas quatro mostras.

Os curtas-metragens se dividem da seguinte forma: oito na mostra Amazonas; 12 na Região Norte; dez na Amazonas Retrospectiva; e oito na Outros Nortes. Apenas as duas primeiras mostras têm caráter competitivo e Diego Bauer, da Artrupe Produções, empresa organizadora do festival, falou sobre as características de cada lista de escolhidos.

“A mostra Região Norte é mais direcionada a questões realmente amazônicas. Muitos documentários estão tratando de grupos indígenas ou personagens que vivem em uma condição mais próxima à natureza. No fundo, a gente tentou fazer uma seleção mais abrangente, mas, de um modo geral, a mostra Região Norte vai mais para esse lado voltado a questões da floresta, digamos assim”, afirmou Diego.

(Foto: Divulgação)

Já a mostra Amazonas, segundo ele, tem perfil parecido, mas a variação é maior. “Tem obras que tratam de um contexto urbano ou de histórias mais universais. O caráter é um pouco mais abrangente”, ressaltou o produtor cultural.

Também foi intenção da organização do festival, de acordo com Diego, reunir filmes que experimentem linguagens novas. “Só de a gente ter podido ter acesso e realmente conhecer um pouco mais os estilos dos nossos vizinhos já é uma experiência extraordinária. Também vai ser para o público porque os nossos estilos são semelhantes, mas não são idênticos. Quem assistir a filmes do Pará, Tocantins, Roraima etc., vai conseguir se enxergar ali e, ao mesmo tempo, ver coisas que a gente não aplica no nosso cinema e pode aprender muito”, acrescentou.

Programação extra
Não competitiva, a mostra Amazonas Retrospectiva reúne os filmes: ‘A Incrível História de Coti: O Rambo do São Jorge’, de Anderson Mendes; ‘A Última no Tambor’, de Ricardo Manjaro; ‘Cachoeira’, de Sérgio Andrade; ‘Jardim de Percevejos’, de Francis Madson; ‘Nas Asas do Condor’, de Cristiane Garcia; ‘Parente’, de Aldemar Matias; ‘Rota da Ilusão’, de Dheik Praia; ‘Sardinhas em Lata’, de Keila Serruya; ‘Uayná – Lágrimas de Veneno’, de Zê Leão; e ‘Uma Janela Para o Outro’, de Sávio Stoco e Michelle Andrews.

Também em caráter não competitivo, a mostra Outros Nortes terá os curtas: ‘Abissal’ (CE), de Arthur Leite; ‘Borá’ (RJ), de Angelo Defanti; ‘Chico’ (RJ), dos Irmãos Carvalho; ‘Demônia’ (SP), de Cainan Baladez e Fernanda Chicolet; ‘Estado Itinerante’ (MG), de Ana Carolina Soares; ‘Tentei’ (PR), de Laís Melo; ‘Vaca Profana’ (SP), de René Guerra; e ‘Vando Vulgo Vedita’ (CE), de Leonardo Mouramateus e Andréia Pires.

Mostras competitivas

Amazonas
• ‘Barulhos’, de Lucas Martins
• ‘Filme de Viagem e Meio Ambiente’, de Adanilo
• ‘Leco’, de Augustto Gomes
• ‘O Compromisso’, de Max Michel
• ‘O Necromante’, de Ricardo Manjaro e Edson Presto
• ‘Personas’, de Daniella Coriolano e Romulo Sousa
• ‘Pés de Anta – As Cineastas Munduruku’, de Kátia Brasil
• ‘Ruas de Rio’, de Jimmy Christian

Região Norte
• ‘Adão’ (PA), de Rafaella Cândido
• ‘Antigamente Não Existia Dia’ (PA), de Adriano Barroso
• ‘Banho de Cavalo’ (RO), de Michele Saraiva e Francis Madson
• ‘Carta sobre o nosso lugar – Mulheres do Vila Nova’ (AP), de Rayane Penha
• ‘Cinzas da Quarta-Feira’ (TO), de Hélio Brito
• ‘Curtiu?’ (AP), de Dominique Allan
• ‘Guariterebenguela’ (RO), de Chicão Santos
• ‘Histórias do Cumaru’ (PA), de Simone Giovine
• ‘Maria’ (AM), de Elen Linth
• ‘Meninx’ (PA), de Tarcisio Gabriel
• ‘O Caminho das Pedras’ (PA), de Alexandre Nogueira e Fernando Segtowick
• ‘Timbó’ (RR), de Peiman Zekavat