Museus viram opção cultural e barata nas férias

Localizados em pontos estratégicos da cidade, ou até mesmo no meio da floresta, museus de Manaus são opções de cultura e entretenimento para o período das férias

Sofia Lorrane / redacao@diarioam.com.br

Manaus – A temporada de férias está chegando e para ocupar esse tempo livre a REDE DIÁRIO DE COMUNICAÇÃO (RDC) apresenta os principais museus de Manaus que podem ser visitados neste período. Dentro dos espaços, um pouco da história e da cultura do Amazonas.

A maioria dos museus está no Centro da cidade. O Palacete Provincial, localizado na Praça Heliodoro Balbi, também conhecida como Praça da Polícia, possui cinco museus com entrada gratuita, o Museu de Numismática, Museu da Imagem e do Som do Amazonas, a Pinacoteca do Estado do Amazonas, o Museu Tiradentes e o Museu de Arqueologia, que estão abertos de terça a sábado, das 9h às 14h.

Pinacoteca do Estado (Foto: Divulgação)

O Museu de Numismática conta com o acervo de mais de 20 mil moedas, medalhas, cédulas e documentos históricos, organizadas pelo comerciante amazonense Bernardo Ramos. Estudioso e fascinado pela Numismática, ele viajou por vários países, adquirindo peças para a coleção. No local também são realizadas apresentações infantis teatralizadas com uso de fantoches.

Já o Museu da Imagem e do Som do Amazonas (Misam), conta com acervos audiovisuais voltados para temas regionais e gerais, mostrando a evolução das câmeras fotográficas com exemplares de máquinas. Na Pinacoteca, o visitante contemplará quadros de artistas, com o acervo de cerca de 90 obras de arte que retratam as técnicas de artistas de todo o Brasil, como pintura a óleo, bico de pena, xilogravuras e talhas.

O Museu Tiradentes representa uma importante parcela para a compreensão da história do Estado e da corporação à qual pertence. Seu acervo é constituído por dezenas de objetos, como armas antigas, equipamentos do Corpo de Bombeiros, uniformes, distintivos e condecorações, documentos, fotografias e outros.

No Museu de Arqueologia estão reunidos achados arqueológicos. O local tem como objetivo mostrar ao público visitante um pouco do conhecimento pré-colonial da perspectiva antropológica e artística dos povos e suas diversas formas de expressão cultural. O visitante se depara com algumas das técnicas adotadas em uma escavação, e conhecem alguns dos equipamentos usados em campo.

O Museu Casa Eduardo Ribeiro, na Rua José Clemente, também no Centro, recupera a história do ex-governador do Amazonas Eduardo Gonçalves Ribeiro, e possui uma exposição permanente de móveis e utensílios de época. A entrada é gratuita e funciona de terça a sexta e domingo, de 9h às 14h.

Museu Casa Eduardo Ribeiro (Foto: Divulgação)

Ainda no Centro da capital, o Museu do Teatro Amazonas, localizado na Avenida Eduardo Ribeiro, é palco de espetáculos de óperas, operetas, musicais, peças de teatro, shows de cantores líricos e populares, festivais, grupos de dança, bandas de música, corais, orquestras e entre outros, mas além de casa de espetáculos, ele é um patrimônio cultural, que reserva à memória da cidade de Manaus. O museu funciona de terça a sábado, de 9h às 17h, com entrada gratuita as terças-feiras para visitante de fora do Estado e todos os dias para amazonenses.

Museu do Teatro Amazonas (Foto: Divulgação)

O Museu do Homem do Norte funciona nas dependências do Centro Cultural dos Povos da Amazônia, na Bola da Suframa, no Distrito, de segunda a sexta, de 9h às 17h, com entrada gratuita. Reúne artefatos domésticos e de ritual indígenas, dispõe de visitas guiadas, em português e em inglês, para grupos de estudante e turistas.

Museu do Homem do Norte (Foto: Divulgação)

Zona Rural

A última e mais inusitada opção é o Museu do Seringal Vila Paraíso, localizado no Igarapé São João, na zona rural de Manaus. Ele funciona todos os dias, de 8h às 16h. O diferencial é que o acesso é somente por via fluvial e a entrada custa R$5 por pessoa, mas criança até 5 anos de idade não paga ingresso. O museu é destinado a visitantes que desejam conhecer de perto o modo de viver do homem do seringal, mostra a era de ouro do ‘Ciclo da Borracha’ e oferece uma ampla visão da situação dos seringais naquela época.

Museu do Seringal (Foto: Divulgação)


SIGA-NOS NAS NOSSAS REDES