Sapateiro diz que implorou pela vida após ser baleado durante tiroteio, na zona norte

“Rapaz, você vai matar um sapateiro sem eu mexer com droga? Vou morrer sem ser envolvido com nada?”, disse um senhor de 71 anos que foi baleado enquanto fechava loja, na Feira do Mutirão

Asafe Augusto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – “Vou morrer sem ser envolvido com nada”. Essa foi uma das frases ditas pelo sapateiro Benedito dos Santos Pinheiro, 71, que é uma das sete pessoas que foram baleadas durante um tiroteio, que também deixou duas vítimas fatais, na noite deste domingo (16), na comunidade Amazonino Mendes, zona norte de Manaus. A polícia suspeita que a ação tenha sido motivada pela guerra do tráfico naquela região.

Benedito dos Santos relatou que estava fechando o estabelecimento, que fica na Feira do Mutirão, quando foi baleado no braço direito. Ao sair do Hospital Pronto Socorro Platão Araújo, na zona leste, ele contou que, depois que foi atingido, caiu e implorou pela vida dizendo aos suspeitos que não era envolvido com o tráfico de drogas.

Idoso foi atingido com tiro no braço direito (Foto: Raquel Miranda)

“Rapaz, você vai matar um sapateiro sem eu mexer com droga? Vou morrer sem ser envolvido com nada?”, questionou a vítima a um dos criminosos. O sapateiro contou que presenciou a morte de uma das vítimas, o menor Vitor Lucas da Silva, de 16 anos.

“Deram dois tiros a queima roupa nele. O primeiro a ser atingido foi o irmão dele (um adolescente de 13 anos que foi atingido na costa) que passava em frente a sapataria. Foi quando me atingiram”, comentou.

Tiroteio

O tiroteio começou, na noite deste domingo (16), na Feira do Mutirão, na rua Penetração, comunidade Amazonino Mendes, bairro Novo Aleixo, zona norte, e terminou na Rua 1, na mesma comunidade. Os mortos foram identificados como Janderson Silveira, de 28 anos, e Vitor Lucas da Silva, de 16 anos. Sete pessoas foram baleadas durante o tiroteio, dentre elas dois adolescentes, de 13 e 16 anos. Os feridos foram encaminhados ao Pronto Socorro Platão Araújo, na zona leste.

De acordo com policiais militares da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), os atiradores estavam em seis veículos diferentes: um Gol amarelo, um Voyage preto, um Siena cinza, uma S10 preta e duas motocicletas. Testemunhas relataram à reportagem que o tiroteio pode estar ligado à briga de facções pelo tráfico de drogas na área.