Amazonino diz que tentativa de impedir pagamento do Fundeb prejudica servidores

O governador do Amazonas e candidato à reeleição afirmou que o pagamento do abono do Fundeb a servidores da Educação foi autorizado pela Justiça e o candidato Wilson Lima não deveria tentar impedir o benefício

Asafe Augusto / redacao@diarioam.com.br

Manaus – O governador do Amazonas e candidato à reeleição, Amazonino Mendes (PDT), destacou em entrevista, nesta quarta-feira (10), no programa DIÁRIO DA MANHÃ, da RÁDIO DIÁRIO 95,7, que o abono que será concedido aos professores e pedagogos da rede estadual, com recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), tem autorização da Justiça Eleitoral e, por isso, o candidato Wilson Lima (PSC) não deveria tentar impedir o pagamento que beneficiará os servidores.

Amazonino concedeu entrevista à RÁDIO DIÁRIO, nesta quarta-feira (Foto: Raquel Miranda/RDC)

“Eu não entraria na Justiça se fosse ele. Tudo que é benéfico para o povo, nós políticos deveríamos respeitar. É muito grave tolir o direito dos outros. O professor ganha pouco, então, toda ação é obrigação de qualquer um. Eu, para fazer, consultei o Tribunal Regional Eleitoral”, disse.

O governador disse, ainda, que o percentual mínimo a ser destinado no abono Fundeb para a valorização do professor é de 60%, mas o governo do Estado ampliou para 80%, o que garantiu um valor maior para os servidores.

Em nota, a coligação Transformação por um Novo Amazonas, que representa a candidatura de Wilson Lima, informou que entrou, na terça-feira (9), com uma ação contestando o uso político do abono e que “não há, em nenhum momento, o pedido de suspensão do pagamento do benefício”, diz o texto.

Amazonino ressaltou que o primeiro e segundo turno são eleições diferentes e, na avaliação dele, o povo votou com emoção e no segundo turno vai refletir antes de votar. “Isso diz respeito de como serão os próximos quatro anos do Estado e do País”, ressaltou.

Ao fazer a análise do quadro político-eleitoral do estado, na disputa contra o seu oponente, Wilson Lima, Amazonino afirmou que não tem um adversário, mas sim uma ‘adversária’, que qualificou de “conjuntura”.

“Não se pode pensar que meu adversário é político. Não é. Ele não tem experiência nenhuma, nunca administrou nada, nunca foi, sequer, vereador. Não tem currículo ou nada que dê a ele confiança de que pode pegar as rédeas do Estado e enfrentar os problema. Então não estou enfrentando ele, e sim conjuntura”, avaliou.