‘Desenvolvimento do Brasil virá da Amazônia’, defende prefeito em Fórum

Para o prefeito Arthur Neto, os estados do Sul e Sudeste, sobretudo Rio de Janeiro e São Paulo, deveriam ser parceiros da Região Amazônica

Com informações da assessoria / redacao@diarioam.com.br

Manaus – “Chega de antagonismo entre as Regiões. O verdadeiro desenvolvimento do Brasil só será possível com a valorização da Amazônia”, defendeu o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, ao participar na manhã desta quarta-feira, (21), do Exame Fórum Amazônia, evento realizado pelo Grupo Abril, na cidade de Porto Velho (RO).

Ele participa na manhã desta quarta-feira, (21), do Exame Fórum Amazônia, evento realizado pelo Grupo Abril, na cidade de Porto Velho (RO). (Foto: Mário Oliveira/Semcom)

Acompanhando da primeira-dama e presidente do Fundo Manaus Solidária, Elisabeth Valeiko Ribeiro, e dos secretários municipais de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semmas), Antonio Nelson, e de Comunicação (Semcom), Eric Gamboa, o prefeito de Manaus participou do talk show sobre lideranças políticas, negócios e sustentabilidade, juntamente com o governador de Rondônia, Confúcio Aires Moura.

“A união dos estados e municípios é fundamental para dar força política à Amazônia. Vejo um interesse planetário maior na Amazônia que o interesse do próprio governo brasileiro”, lamentou Arthur Neto. Para o prefeito, os estados do Sul e Sudeste, sobretudo Rio de Janeiro e São Paulo, deveriam ser parceiros da Região Amazônica. “Em vez de antagonismo, mais negócios. Em vez de antagonismo, desenvolvimento sustentável e mais riquezas para o país, ao mesmo tempo em que se valoriza e fortalece a Amazônia”, apontou.

No bate-papo mediado pelo diretor editorial da Revista Exame, André Lahóz Mendonça de Barros, também foram abordados temas relacionados às lideranças políticas na defesa do desenvolvimento da Região, novos negócios e investimentos no desenvolvimento sustentável da Amazônia.

Para o governador de Rondônia, Confúcio Aires, é preciso criar novas estratégias para tornar a Amazônia mais acessível aos próprios brasileiros. “Os governadores da Amazônia têm se organizado em consórcios. Essa união entre estados é muito importante para a comunicação e integração dos interesses amazônicos e para que o próprio Brasil conheça a sua riqueza”, disse.

Entre as principais medidas a serem adotadas para ampliar o turismo de lazer e negócios na Amazônia, o governador foi enfático ao criticar o alto valor das passagens aéreas para a Região. “É mais barato ir para o exterior que conhecer a Amazônia. A nossa bancada no Congresso Nacional precisa se unir mais e fazer ecoar a Amazônia para o resto do país, planificando e defendendo a floresta”, afirmou Confúcio.

E no que se refere ao futuro da Amazônia, tanto o prefeito de Manaus quanto o governador de Rondônia vislumbraram uma maior cooperação do governo brasileiro. “Sou otimista, e muito, que Brasil vai fazer as reformas necessárias para se fortalecer política e economicamente, para fazer da Região Amazônica e da nossa biodiversidade uma grande força econômica. Acredito na Amazônia, porque acredito que o Brasil só irá alcançar o pleno desenvolvimento se valorizar a Amazônia”, finalizou Arthur Virgílio Neto.

Fórum

Reunindo consultores, investidores e representantes dos governos estadual e municipal de alguns dos estados brasileiros que compõem a Amazônia, o Exame Fórum Amazônia teve como tema “Riqueza e sustentabilidade – Como será o próximo salto competitivo da Amazônia”, com o objetivo de avaliar os entraves que precisam ser solucionados para o desenvolvimento da Região.

Palestras, como a do economista-chefe da consultoria MB Associados e colunista do site Exame, Sérgio Vale, que falou sobre a recuperação da economia e as perspectivas de 2018 e 2019, marcaram o evento realizado na Faculdade Porto.

Rodrigo Lima, diretor da consultoria Agrícola; Mary Braganhol, secretária estadual de Agricultura; e Alaerto Luiz Marcolan, chefe-geral da Embrapa Rondônia, também debateram o potencial da agricultura, da pecuária e da agroindústria na Amazônia.

O Exame Fórum Amazônia teve, ainda, entre os convidados, a economista Maria Tereza Umbelino, fundadora do projeto “Brasil Mata Viva”; Frederico Machado, especialista em políticas públicas do programa “Agricultura e Alimentos” da ONG WWF Brasil; Olivier Girard, sócio da consultoria Macrologística; Valdemar Camata Júnior, superintendente do Sebrae Rondônia; e Lucas Aragão, cientista político e sócio da consultoria Arkos.