Temer e ministros discutem medidas para situação de venezuelanos em Roraima

O presidente explicou que o comitê que será criado terá participação da União e do Estado, sem gerar interferência nas “questões internas de Roraima”

Agência Brasil / redacao@diarioam.com.br

Brasília – Após visitar Roraima durante o Carnaval, o presidente Michel Temer está reunido com ministros no Palácio da Alvorada para discutir medidas relativas à imigração de venezuelanos e a situação do estado. Na segunda-feira (12), Temer esteve em Boa Vista (RR) e anunciou que o governo vai editar entre esta quarta (14) e quinta-feira (15) uma medida provisória para criar um grupo responsável por coordenar assuntos relacionados à migração dos venezuelanos.

O presidente explicou que o comitê que será criado terá participação da União e do Estado, sem gerar interferência nas “questões internas de Roraima”. Ele acrescentou que “não faltarão recursos para solucionar a questão”, tanto no aspecto humanitário quanto para resolver problemas locais criados após a entrada de um grande número de imigrantes. “Não descansarei enquanto não resolver os problemas de Roraima”, disse.

O presidente Michel Temer está reunido com ministros no Palácio da Alvorada para discutir medidas relativas à imigração de venezuelanos e a situação de Roraima (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Temer afirmou, ainda, que, se não foram tomadas medidas, os problemas da migração serão estendidos para outros estados. Para fugir da crise política e econômica na Venezuela, diariamente imigrantes ingressam no Brasil pela fronteira com Roraima. A prefeitura de Boa Vista estima que cerca de 40 mil venezuelanos tenham entrado na cidade. O número corresponde a mais de 10% da população local, de cerca de 330 mil habitantes.

Participam da reunião no Palácio da Alvorada os ministros da Justiça, Torquato Jardim; da Defesa, Raul Jungmann; do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência, Sérgio Etchegoyen; da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, e da Casa Civil, Eliseu Padilha.